Porto surge como opção para final da Champions por complicações em Wembley

Por Simon Evans

MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) – Complicações para transferir a final da Liga dos Campeões de Istambul para o estádio de Wembley, em Londres, fizeram com que a cidade do Porto emergisse como uma nova opção para o confronto de 29 de maio entre Manchester City e Chelsea, disseram fontes à Reuters.

A Uefa iniciou negociações com o governo do Reino Unido e a Associação de Futebol da Inglaterra (FA) com o objetivo de transferir a final para Wembley, depois de a Turquia ter sido colocada na “lista vermelha” de destinos pelo Reino Unido na semana passada, impedindo que torcedores ingleses fossem ao jogo.

Uma fonte com conhecimento das discussões disse que, embora as negociações continuem na terça-feira, obstáculos surgiram em torno da necessidade de exceções para funcionários de emissoras internacionais, equipes técnica e de apoio e patrocinadores, uma vez que muitas dessas pessoas, de vários países diferentes, precisariam fazer uma quarentena na chegada ao Reino Unido.

A FA não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

É muito improvável que Istambul sedie o jogo devido às circunstâncias, e a transferência do jogo para Porto oferece uma maneira de os torcedores ingleses ainda poderem assistir à final, embora com maior custo e esforço do que realizar a partida em Wembley.

Na semana passada, o governo do Reino Unido colocou Portugal na sua “lista verde” a partir de 17 de maio, o que significa que os ingleses estariam livres para viajar para o jogo caso seja transferido.

Portugal está atualmente na última fase de flexibilização de sua quarentena da Covid e espera suspender as restrições de viagens a partir de 17 de maio.

A final do ano passado foi transferida de Istambul para Lisboa devido à pandemia de Covid-19, mas fontes indicaram que as autoridades portuguesas preferem que Porto seja o anfitrião do jogo desta vez caso o país tenha a opção.

A Uefa e a Federação Portuguesa de Futebol não quiseram comentar.