Rogério Caboclo é afastado de presidência da CBF por comissão de ética

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi afastado do cargo por 30 dias pela comissão de ética da entidade, segundo nota divulgada neste domingo.

“A decisão é sigilosa e o processo tramitará perante a referida comissão, com a finalidade de apurar a denúncia apresentada”, informou em nota a CBF, após deliberação da Comissão de Ética do Futebol Brasileiro.

Segundo reportagens da imprensa local, Rogério Caboclo teria sido acusado de assediar sexualmente uma funcionária. A CBF não deu detalhes da investigação.

A decisão veio uma semana antes do início da Copa América no Brasil e em meio à turbulência dentro e fora do campo antes do torneio de um mês.

O Brasil foi escolhido inesperadamente como sede do evento na semana passada, depois que a Colômbia foi descartada devido a uma onda de protestos que dura mais de um mês no país, e a Argentina se retirou devido a uma disparada de casos de Covid-19.

Segundo a CBF, toma posse interinamente o vice-presidente Antônio Carlos Nunes de Lima, por critério de idade, conforme estatuto da entidade.