Saga de contrato de Messi se arrasta, mas clube continua otimista

BARCELONA (Reuters) – O argentino Lionel Messi ainda não assinou um novo contrato com o Barcelona, clube onde joga desde o início da carreira, e sua associação de 21 anos com os catalães pode terminar à meia-noite de quarta-feira se nenhum acordo novo for alcançado.

Mas o maior artilheiro do Barça, ao qual ele se uniu aos 13 anos em setembro de 2000, poderia continuar depois de 30 de junho como agente livre, sem pertencer oficialmente ao time até firmar uma renovação contratual.

O clube não quis comentar a situação do contrato de Messi quando procurado pela Reuters nesta terça-feira.

Não conseguir fechar um acordo com Messi depois de 30 de junho seria um constrangimento para o Barça e o presidente Joan Laporta, e ressaltaria ainda mais o quadro financeiro precário do clube.

O time tem uma dívida total de mais de 1 bilhão de euros, e o contrato quase vencido de Messi, que ele assinou em 2017, é o mais lucrativo do mundo do esporte, de acordo com uma reportagem de janeiro do jornal El Mundo.

Laporta disse neste mês que Messi, que tentou deixar o time no ano passado depois de se desentender com o antigo presidente Josep Maria Bartomeu, está disposto a ficar, mas também pediu ao seu capitão para assinar o mais cedo possível.

“Gostaria que Messi nos dissesse sim assim que puder, isto nos ajudaria de muitas maneiras”, disse ele ao jornal La Vanguardia.

Messi, que fez 34 anos na semana passada, tornou-se o jogador com mais partidas pela seleção da Argentina na segunda-feira, quando marcou dois gols na vitória de 4 x 1 sobre a Bolívia na Copa América.

(Por Richard Martin)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH5S19H-BASEIMAGE