Thiago Heleno é o destaque da campanha do Athletico no Brasileirão

Desde 2016 no Athletico, Thiago Heleno é o general, comanda a área defensiva e também tem estratégias para vencer os adversários no campo de ataque. São 194 jogos e 15 gols pelo clube, um dos maiores zagueiros da história do Furacão.

“Fico feliz de fazer parte da história do Athletico em algumas campanhas, pretendo não parar por aqui e o que eu puder ajudar já deixei bem claro para a diretoria, pro torcedor que para esse clube aqui eu dou minha vida e tenho muito orgulho de falar que eu visto essa camisa.”

Vestido rubro-negro, o camisa 44 levantou quatro taças, dois paranaenses, uma sul-americana com direito a cobrança do pênalti do título e uma Copa do Brasil em que ele fazia parte do elenco, mas não atuou pois estava suspenso por conta de um doping involuntário após uma receita ministrada pelo Clube. Mesmo assim, na final estava pertinho dos Capitães Wellington e Lucho na hora de levantar o troféu.

“Fiquei triste por ter ficado fora, mas enfim, durante o dia a dia a gente estava ajudando, a gente cumprindo o papel de outra forma”

Na atual temporada as coisas não começaram muito bem para o general e para o Athletico, mas o segundo turno do brasileirão depois da chegada do técnico Paulo Autuori é para festejar mesmo, terceira melhor campanha do campeonato do período. 

“Tem muita parte do Paulo, claro que você não viu isso aqui vai falar que principais jogadores né, mas ele tem uma tem uma parte fundamental na nossa equipe, é um cara que impõe respeito, onde tudo que ele pede né ele manda fazer e explique o porquê né e aonde que a gente se adapta o mais rápido possível e graças a Deus me dando certo, a gente espera poder receber o restante do brasileiro, conseguir fazer tudo que ele pedir, da melhor forma possível que eu tenho certeza que coisa boa tá pra acontecer para a gente.”

Com 5 anos de clube e Thiago Heleno tenta chegar com a camisa do Atlético pela quarta vez na Copa Libertadores, faltando duas rodadas para o fim do Brasileirão, se tiver 100% de aproveitamento é grande a chance do desejo rubro-negro se concretizar. Grêmio fora de casa e Sport na Arena da Baixada, essas são as pedras no caminho athleticano para voltar à principal competição do continente.

São duas finais agora né, a gente precisa vencer é num jogo fora de casa com o Grêmio que um time que joga também, que deixa jogar. Como eu falei fora de casa a gente vai beliscando alguns pontos, a gente precisa vencer lá, mas vencer organizado né, sabendo que vai fazer,  tentando buscar o resultado possível o tempo todo. 

Aos 32 anos de idade, o Thiago Heleno pelo menos o discurso oficial nem pensa em encerrar tão cedo uma história tão bonita no Furacão. 

“Bom eu quero jogar muito tempo ainda né, me cuidar bastante né, viver o futebol, viver para minha família né que eu mais importante que nos dá força.”

É com a segurança de um general que o Athletico vai com força na tentativa de chegar na Libertadores pela oitava vez na história.