Vanessa dos Santos conquista segundo ouro, com índice para o Mundial de atletismo

A paulistana Vanessa Sena dos Santos (AD Centro Olímpico-SP) voltou a ganhar destaque na quinta etapa do Campeonato Brasileiro Loterias Caixa de Atletismo Sub-20, na manhã deste domingo (24/4), no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo. Vanessa ganhou sua segunda medalha de ouro, desta vez nos 200 m e ainda melhorou o índice para o Mundial de Atletismo Sub-20 de Cáli, Colômbia, de 1 a 6 de agosto. Ela já havia vencido no sábado (23/4) o salto em distância, também com índice para o Mundial, com 6,35 m (0.3), novo recorde brasileiro sub-18, melhor marca do mundo na categoria e terceira melhor marca do Ranking da World Athltetics Sub-20.

“Foi uma prova muito boa e forte, mas não foi fácil, com os três melhores tempos lado a lado. Eu já achava que daria para melhorar, tinha 24.23 (0.1) da semifinal e fiz 24.03 (0.8), e ainda dá para baixar o tempo”, disse Vanessa, que vai engatar uma série de competições internacionais e só pensa em medalhas. “Quero ser campeã em tudo, brigar por medalhas”, afirmou. Em maio, disputará os Jogos Sul-Americanos da Juventude Sub-18, em Rosário, Argentina, e a Gymnasíade – o Mundial Escolar – de 14 a 22, na Normandia, França. Antes do Mundial de Cáli compete no Pan-Americano, em junho.

Tainara Mees (AATI-SC), ouro nos 100 m, ficou com a medalha de prata (24.41) e Natália Campregher (APA/SECEL Jaraguá do Sul-SC) com a medalha de bronze (24.40).

A chegada dos 200 m masculino foi incrível com o mesmo tempo para os dois primeiros colocados, mas vitória de Izaias Alves (Águias Guariba-SP), com 21.48 (-1.7), mesmo tempo de Matheus Lima da Silva (CRB-AL), com Lucas Fernandes Antunes (UCA-SC) em terceiro, com 21.70. Na semifinal, sábado, Isaias correu a distância em 21.31 (1.3), índice para o Mundial Sub-20 de Cáli (a marca mínima exigida pela World Athletics é 21.40).

Taniele da Silva (Pomerode-SC) – fã de Geisa Arcanjo e de Darlan Romani – foi campeã no arremesso do peso, com 13,98 m. “Foi meu primeiro arremesso, ainda tentei melhorar a marca”, disse Taniele, de 17 anos que nasceu em Peruíbe (SP), mas vive em Pomedore desde criança e treina com Odair dos Santos.

O mato-grossense Jânio Marcos Gonçalves Varjão (Barra do Garças-MT) comprovou seu amplo favoritismo e conquistou o bicampeonato dos 1.500 m, com 3:57.84, dando sequência aos ótimos resultados de 2022. Afinal, ele conquistou as medalhas de ouro na categoria sub-20 da Copa Brasil, do Sul-Americano e do Pan-Americano de Cross Country. “Fiquei feliz com a marca, embora a prioridade tenha sido a vitória e a qualificação para o Campeonato Pan-Americano de junho”, comentou Jânio, de 18 anos e há 3 praticante do atletismo. “Nasci em Barra do Garças, onde vive minha família, mas moro na Casa do Atleta, que fica a 20 metros da pista. É muito mais fácil, além de um contar com uma alimentação mais adequada para o esporte”, completou o atleta, que ganhou a medalha de prata nos 3.000 m na sexta-feira (22/4).

Victor Augusto Carpeggiani (Balneário Camboriú-SC) ficou em segundo lugar, com 4:02.41, enquanto Marco Túlio Gonçalves (Praia Clube-MG) garantiu o bronze, com 4:04.59 .

Na categoria feminina, a campeã foi a paranaense Ana Mees Valério (PM São José dos Pinhais-PR), de apenas 16 anos, com 4:53.28. “Queria um lugar no pódio e imagina só minha felicidade com o ouro”, disse a atleta, bronze nos 5.000 m na manhã de sábado (23/4), que desta vez não teve a companhia da irmã gêmea Helena. “Bati meu recorde pessoal, garanti vaga no Pan-Americano e agora vou me preparar para correr bem os Jogos Sul-Americanos da Juventude”, completou, referindo à competição que será disputada no início de maio na cidade argentina de Rosário.

Stefany dos Santos Ribeiro (AASF-BA) conquistou a medalha de prata, com 5:00.18, seguida de Caroline de Oliveira Gomes (MEM-SP), com 5:01.02.

Na prova que abriu o programa deste domingo, os 10.000 m marcha atlética, Heron Rodrigues Miranda (Balneário Camboriú-SC) também confirmou seu favoritismo e venceu com o tempo de 44:32.73. “Foi uma prova muito difícil. Liderei desde o início e é duro não ter alguém para puxar o ritmo”, lembrou Heron. “Fiquei feliz por me qualificar para o Pan-Americano, onde espero conseguir o índice para o Mundial de Cáli, já que deverei ter adversários fortes.”

Otávio Henrique Vicente (Corville-SC) completou as 25 voltas na pista em segundo lugar, com 44:43.22. João Victor Silva Magalhães (CASO-DF) terminou em terceiro, com 45:59.88.

No salto triplo, a vitória foi da catarinense Mariana de Oliveira Muller (Corville-SC), com a marca de 12,55 m (0.5), obtida na segunda tentativa. “O resultado e a qualificação para o Pan-Americano me deixam mais animada. Acho que posso melhorar ainda mais”, disse a atleta de 19 anos, que há seis anos treina atletismo em Joinville. “Já fiz heptatlo, distância e barreiras, mas minha prova principal sempre foi o triplo”, completou.

Beatriz Cristaldo dos Santos (Instituto Foz-PR) foi a vice-campeã, com 12,25 m (-1.5), seguida de Maria Eduarda de Oliveira (Barra Bonita-SP), com 12,20 (0.8).

Revelação – Com apenas cinco meses de atletismo, a gaúcha Luísa Monteiro de Almeida (Sogipa-RS), de 15 anos, foi uma das surpresas da competição. Ela ganhou a medalha de prata nos 5.000 m (18:44.57) e de bronze nos 3.000 m (10:43.16) em sua primeira experiência em torneio nacional. “Ela é associada da Sogipa e corria na pista do clube, orientada pelo personal Gerimar Souza. Um dia eu reparei o desempenho dela e perguntei se ela gostaria de correr o Estadual pela Sogipa. Ela aceitou, com a anuência dos pais, e ganhou duas medalhas de ouro. É um talento, que tende a crescer muito”, disse o treinador Yuri Rodrigues Fajardo. Luísa estreou nas competições em dezembro e subiu duas vezes ao pódio do Centro Olímpico. “Gosto muito de correr e sei que tenho de aprender muito ainda”, afirmou a menina nascida em Porto Alegre no dia 17 de maio de 2006.

Informações do COB.