Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Caramuru encerra primeiro turno sem vencer na Superliga

(Foto: Divulgação) - Caramuru encerra primeiro turno sem vencer na Superliga
(Foto: Divulgação)

O MV Selmer/Compagás/Castro encerrou sua participação no primeiro turno da Superliga de Vôlei com mais uma derrota. O jogo que marcou a 11ª rodada da fase inicial da competição aconteceu em São Paulo, nesta quarta-feira (21), diante do Sesi. O time da capital paulista venceu por 3 sets a zero, com parciais de 25x20, 25x18 e 25x18. Ainda que tenha terminado esta etapa com apenas dois pontos, as estatísticas mostram a equipe castrense na frente de adversários diretos, como o Maringá, São Bernardo e Bento Vôlei nos fundamentos bloqueio e saque. A eficiência do Caramuru foi de 27,85% no bloqueio contra 25,48% (Maringá), 22,44% (São Bernardo) e 26,57% (Bento).

Sem computar os dados da rodada desta quarta-feira, o time de Castro também é melhor no saque. Enquanto a eficiência do Maringá ficou em 4,55%, a de São Bernardo, 4,22% e a do Bento Vôlei, 4,12%, o MV Selmer/Compagás/Castro tinha um saque 6,67% eficiente. Os dados gerais mostram ainda 386 sucessos no ataque, contra 102 erros (eficiência de 21,5%) e na recepção 188 sucessos contra 51 erros (19,03% de eficiência). Os números não estão muito distantes dos obtidos pelo Sada Cruzeiro, primeiro colocado, com 29 pontos: 29,07% nos bloqueios e 7,1% no saque. Diferença aceitável se comparado orçamento e experiência tanto de atletas quanto de comissões técnicas.

“No jogo de hoje, por exemplo, é muito difícil marcar Lucão e Douglas, neutralizar a inteligência do Bruninho ou segurar o Rafa, que fez excelente partida. São jogadores de nível olímpico”, avaliava o técnico Fábio Sampaio. Nesta temporada, dez campeões olímpicos disputam a Superliga. Ainda que ressalte os pontos positivos da equipe, o treinador afirma que o time fez um primeiro turno muito abaixo do esperado. “Perdemos jogos que poderíamos ter ganho. E perdemos nos detalhes. Por isso, tivemos uma conversa com todo os jogadores antes desta partida, pedindo que refletissem sobre tudo o que vivemos até aqui. O comportamento tem que mudar para o returno. Precisamos parar de errar em momentos cruciais”, comentou, citando que o grupo terá acompanhamento psicológico já desde o início do segundo turno.

“Sabemos que muito foi feito, sabemos da dedicação dos atletas. São jovens assim como a comissão técnica é jovem. Apostamos em montar um grupo assim e tenho a certeza que as derrotas não foram causadas por ineficiência técnica, mas por alguns descuidos”, assegurou. O Caramuru precisa conquistar 18 pontos no returno para ficar entre os dez primeiros colocados e se manter na Superliga. “Vamos para cima de todos, mas especialmente dos adversários diretos; precisamos ganhar”, adiantava Fábio Sampaio. Para isso, o grupo ganhou folga para o Natal, mas volta aos trabalhos já na semana que vem, quando os treinos prosseguem até o dia 31. Dia 2, o elenco se reapresenta e inicia treinamento para o jogo contra Taubaté, dia 7 de janeiro, às 18h30, em Taubaté (SP).

Colaboração Assessoria de Imprensa.