Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Iapar realiza seminário de erva mate em Curitiba

- Iapar realiza seminário de erva mate em Curitiba

Acontece nesta semana (13 a 15) em Curitiba o II Seminário Internacional “Fortalecimento da Agroecologia, consequências dos agrotóxicos à saúde humana e à natureza”, promovido pelo Ministério Público do Trabalho do Paraná e diversos parceiros.

Paralelamente ao evento, que vai reunir mais de 500 inscritos nos auditórios da UTFPR (Av. 7 de Setembro nº 3165), o IAPAR realiza, nos dias 14 e 15, o IV Seminário de “Sistemas de Produção Tradicionais e Agroecológicos de Erva-Mate”.

Opção ao tabaco 

“Nosso objetivo é debater o fortalecimento e valorização da erva-mate produzida em sistemas tradicionais e agroflorestais, como alternativa ao cultivo do tabaco e a outros sistemas intensivos no uso de agrotóxicos”, explicam os organizadores do evento, pesquisador Francisco Paulo Chaimsohn e agente de C&T Ednílson Pereira Gomes, do IAPAR.

Segundo eles, a produção de erva-mate, em sistemas tradicionais, tem uma importância fundamental para a economia de grande parte dos agricultores e agricultoras familiares das regiões Centro sul do Paraná e Norte Catarinense e tais sistemas são essenciais para a conservação dos últimos remanescentes da Floresta com Araucária.

Sempre de acordo com Chaimsohn e Gomes, a valorização dessa produção (erva-mate agroecológica) também pode contribuir de forma importante para substituir ou, ao menos, diminuir a ocupação destes agricultores e agricultoras no cultivo e produção de tabaco e em outros sistemas de cultivo, intensivos no uso de agrotóxicos, cujas atividades têm efeitos nocivos diretos e indiretos sobre a sua saúde e qualidade de vida dos agricultores e agricultoras, suas famílias e população em geral e sobre o meio ambiente.

Indicação de origem 

Observa-se, por outro lado, uma mudança de paradigma na produção de erva-mate, principalmente em função da preferência do mercado, especialmente aquele dirigido a produção de erva para chimarrão, pelo produto obtido em sistemas sombreados e com material genético da região.

Uma das formas de valorização econômica e de proteção do conhecimento e dos processos de produção e transformação locais é a Indicação Geográfica (IG). Alternativamente, também se pode trabalhar na construção de uma marca coletiva (erva-mate agroecológica) que represente esse tipo de produto. Entretanto, as duas formas de valorização não são excludentes e uma pode contribuir para a construção e desenvolvimento da outra.

Fonte: Iapar