Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Agricultura familiar pode fornecer alimentos para Exército

- Agricultura familiar pode fornecer alimentos para Exército

Agricultores familiares poderão fornecer alimentos para unidades do Exército localizadas no Paraná. No início de outubro representantes das áreas de Negócios/Mercados e Organização Rural do Instituto Emater, Unicafes e Exército participaram de uma reunião, em Cascavel, que teve como objetivo promover a aproximação dos gestores de compras de alimentos nas unidades do Exército com as organizações da agricultura familiar (cooperativas e associações) potenciais fornecedoras desses gêneros alimentícios.

Na oportunidade foi destacada a importância da agricultura familiar e de suas organizações como produtoras de alimentos e fornecedoras do PAA (Programa de Aquisição de Alimentos), bem como sobre a operacionalização dessas compras pelas unidades do Exército. Também foi realizada uma rodada de negócios na qual os representantes do Exército conheceram produtos diversificados, in natura e processados, e visitaram três empreendimentos em Cascavel.

As unidades do Exército Brasileiro localizadas no Paraná e em Santa Catarina compõem a 5ª Região Militar (5ª RM), cujo Comando fica em Curitiba. Nelas há um efetivo de 17.000 militares e o suprimento de alimentos perfaz um total de mais de R$ 48 milhões por ano. As compras são subdivididas em dois tipos de chamadas públicas. A primeira delas é o Quantitativo de Subsistência formado por cereais, carnes frigorificadas, leite em pó, café, massas e outros produtos “não perecíveis” (cerca de R$ 25,7 milhões por ano), cujas compras são realizadas de forma centralizada pelo Comando da 5ª RM e o armazenamento é realizado em Curitiba pelo 5º Batalhão de Suprimentos. Já a segunda chamada é o Quantitativo de Rancho que se refere às compras descentralizadas em cada cidade onde se localizam as unidades do Exército. Neste último caso os produtos a serem adquiridos são perecíveis, principalmente hortifrutigranjeiros e os processados animais e vegetais, totalizando cerca de R$ 22,6 milhões por ano). A partir de janeiro devem ser feitas as licitações para as compras regionais de alimentos.

Os organizadores do evento- extensionistas Mary Stela Bischof, Reni Denardi e Ovídio Barbosa e equipe regional de Cascavel do Instituto Emater e o Major Anselmo Machado Filho da 5ª Região Militar- destacaram que os objetivos da rodada foram alcançados, sendo mais um canal de comercialização que se abre para as organizações da agricultura familiar do estado do Paraná. Mary Stela Bischof acrescentou que a intenção é promover reuniões semelhantes com outras instituições federais como universidades, hospitais públicos e penitenciárias já que, por lei, 30% das aquisições de alimentos devem ser feitas da agricultura familiar.

Fonte: Emater

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo