Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Algodão transgênico pode “salvar” indústria têxtil

Créditos: Pixabay - Algodão transgênico pode “salvar” indústria têxtil
Créditos: Pixabay

Os primeiros resultados dos testes de desempenho nacional (NPT) de algodão geneticamente modificado (GM) feitos pelos Serviços de Inspeção de Saúde Vegetal do Quênia (Kephis) indicam que o algodão transgênico pode “salvar” a indústria têxtil de um possível colapso. O estudo foi realizado em parceria com a Organização de Pesquisa Agrícola e Pecuária do Quênia (Kalro). 

O teste de desempenho foi feito após uma aprovação de liberação ambiental pela Autoridade Nacional de Biossegurança (NBA) em 2016, com base no certificado de aprovação de Avaliação de Impacto Ambiental e licença para testes de campo abertos emitidos em 2018. O progresso é um grande avanço para o Quênia, que fica atrás de outros países africanos na implantação da tecnologia Bt, apesar do enorme conhecimento em melhoramento de plantas resistente a insetos. 

O Quênia e a África do Sul iniciaram pesquisas e testes de culturas GM quase simultaneamente (Quênia em 2001, África do Sul 1998), mas o último tornou-se o primeiro país da África a lançar sua primeira safra comercial GM resistente a insetos (algodão Bollgard II), que foi adotado para produção comercial quatro anos depois, em 2002. Surpreendentemente, a adoção expandiu-se rapidamente após o primeiro lançamento comercial e, em 2001-2002, estimou-se que aproximadamente 90% dos agricultores estavam cultivando algodão Bt e agora são 100% Bt. 

De acordo com os pesquisadores, é altamente esperado que a adoção e comercialização do algodão Bt revitalize a indústria têxtil e, por extensão, contribua para o relançamento do setor algodoeiro e crie até 600.000 empregos em fazendas e fábricas de vestuário. O algodão Bt tem potencial para produzir 260.000 fardos de algodão por hectare anualmente, em comparação com nenhuma das variedades Bt, que se situam entre 28.000 e 30.000 fardos, o que representa cerca de 572 kg / ha contra um potencial de 2.500 kg / ha.

Fonte: Agrolink

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo