Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Colheita de soja avança puxada por Mato Grosso; Paraná tem atraso

- Colheita de soja avança puxada por Mato Grosso; Paraná tem atraso

A colheita de soja da safra 2017/18 no Brasil avançou para 10 por cento da área, quase em linha com a média de cinco anos, de 12 por cento, com Mato Grosso puxando os trabalhos, enquanto o Paraná ainda patina, informou a AgRural na sexta-feira (09/02). Em monitoramento semanal, a consultoria destacou que as atividades de campo estão bem atrasadas no Paraná, segundo produtor brasileiro após o Mato Grosso.

Paraná 

No Paraná, apenas 1 por cento da área foi colhida, contra 13 por cento há um ano e 16 por cento na média recente. “Mesmo com tempo aberto ao longo da semana, os trabalhos avançaram lentamente porque ainda há poucas áreas prontas, devido ao atraso no plantio e ao alongamento do ciclo das lavouras da região oeste”, explicou a consultoria. “Mas a expectativa é de que a colheita avance rapidamente no oeste paranaense a partir da semana que vem. Como a germinação da soja foi concentrada, muitas áreas chegarão juntas ao ponto de colheita. O problema é que, segundo as previsões, as chuvas devem voltar ao Paraná, podendo dificultar o avanço das máquinas”, ponderou a AgRural.

Mato Grosso 

Já em Mato Grosso, que segue na dianteira entre os Estados, com 30 por cento de sua área já colhida, as chuvas desta semana causaram certa lentidão nos trabalhos, destacou a AgRural. “Esses registros, porém, ainda são pontuais e não afetam a produtividade da região.” Há colheita também em Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, São Paulo, Pará, Minas Gerais, Santa Catarina e Bahia. “No Rio Grande do Sul, fevereiro começou mais seco, mas isso ainda não prejudica a safra. As previsões para os próximos dias, entretanto, mostram pouca chuva no Estado”, acrescentou a consultoria.

Milho 

Se a soja ainda não começou a ser colhida no Rio Grande do Sul, por lá os trabalhos envolvendo milho já alcançam 35 por cento da área, puxando a colheita em todo o centro-sul do Brasil para 11 por cento, igual à do ano passado e perto dos 12 por cento da média de cinco anos. No caso da 2ª safra, o atraso no plantio no país ampliou-se nesta semana. Até quinta-feira, 15 por cento da área estimada para a região estava semeada, ante 27 por cento há um ano e 19 por cento na média de cinco anos, disse a AgRural em seu monitoramento. “Se persistir, o atraso no plantio poderá resultar em perda extra de área na safrinha de milho, já que, com preços pouco atraentes, os produtores tendem a não estender o plantio para muito além da janela ideal”, alertou a consultoria.

Fonte: Assessoria Copacol