Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Finalistas do Pontes para Inovação apresentam soluções tecnológicas

Créditos:  Claudio Melo - Finalistas do Pontes para Inovação apresentam soluções tecnológicas
Créditos: Claudio Melo

O presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, destacou na solenidade de premiação das finalistas que investimentos em iniciativas de ciência, tecnologia e inovação são o caminho para o Brasil acelerar o desenvolvimento. Para Barbosa, é preciso ter uma visão ampla de inovação que contemple, principalmente, os agricultores mais excluídos das oportunidades de adoção de tecnologias agropecuárias. “Mesmo com tanta tecnologia, temos muita pobreza no Semiárido. Muitos têm só a enxada. Não precisa muito para darmos renda, dignidade e emprego ao Semiárido. Eles também precisam ser alvo do nosso esforço de inovação. Caso contrário, continuaremos sendo um país muito rico, mas também de miseráveis”, salienta.

O diretor de inovação e tecnologia da Embrapa, Cleber Soares, e o secretário de inovação Vitor Mondo ressaltaram que a estratégia de aproximação com setor produtivo e fomento ao empreendedorismo possibilita à Embrapa ampliar a capacidade de gerar valor para a sociedade. Para os gestores, a abrangência nacional e diversidade de temas da chamada Pontes para Inovação, que contou com participação de 27 Unidades da Embrapa, apontam para a tendência de fortalecer ainda mais ações que unam os atores do ecossistema de inovação na busca, por exemplo, de soluções conjuntas para problemas de algumas cadeias produtivas. 

Para Renato Santana, sócio diretor da Macofren Tecnologias Químicas, a iniciativa possibilita ganhos a todos os parceiros. “O desafio para nós é entrar na era da indústria 4.0 e a concepção do edital do Pontes para Inovação é interessante por possibilitar avançarmos na maturação das tecnologias. Para a Embrapa chegar ao último nível de maturação tecnológica (TRL 9), por exemplo, e estar apta a inserir a tecnologia no mercado, ela precisa de parceiros. Estar inserido neste triângulo, que envolve a Embrapa, as startups e os investidores, é muito interessante para os empreendedores e nosso modelo de negócios valoriza a inovação aberta. Com esta iniciativa estamos conseguindo avanços proveitosos para todos os envolvidos”, enfatiza.

“Chegar ao final desta iniciativa nos mostra que temos um negócio com viabilidade técnica e econômica. A eficiência agronômica também é muito importante, e por meio da interação com a Embrapa e os parceiros, podemos alcançar a meta de tornar o controle biológico mais viável para o produtor rural”, comenta Gabriela Vieira Silva, empreendedora da Agribela, empresa finalista que desenvolveu as cápsulas Biodrop, utilizada, por exemplo, no controle do percevejo marrom na soja.

Os investidores também valorizam a possibilidade de avaliar o potencial de mercado, escalabilidade e diferenciais das tecnologias das empresas finalistas para contribuir com a expansão das empresas por meio de aporte de recursos financeiros. “As empresas do agro são fonte de valor para o País e a Embrapa é protagonista em ciência e tecnologia. Temos uma carteira 100% ocupada por startups e empresas do agro, e vemos potencial de crescer por meio de iniciativas como o Pontes para Inovação, que unem os diferentes atores do mercado”, avalia Marcelo Jardim, diretor da SP Ventures, empresa de venture capital parceira da Chamada.

Pontes para Inovação

Criada pela Embrapa e Cedro Capital em 2017, a chamada Pontes para Inovação conta também com a SP Ventures, Acceleratus, Cotidiano e Parque Tecnológico de Brasília (BioTIC) entre os parceiros da edição 2018. Participaram da chamada 72 empresas, das quais 26 apresentaram suas soluções para a comissão organizadora na segunda fase. As oito empresas finalistas iniciam agora as negociações para receber possíveis investimentos. Na edição de 2017, foram 42 empresas inscritas e sete finalistas, sendo que uma das finalistas, a GIRA, recebeu investimentos do fundo gerido pela Cedro Capital. 

Saiba mais sobre as oito empresas finalistas:

Agribela
www.agribela.com.br

A Agribela é uma empresa com foco no desenvolvimento de tecnologias para o controle biológico de pragas agrícolas.  A empresa, nascida em Londrina-PR, oferece aos seus clientes solução completa para o manejo de pragas mais eficiente e menos predatório ambientalmente. Por meio de cápsulas desenvolvidas para abrigar e proteger os inimigos naturais (Biodrop) possibilitam a mecanização e aumento de eficiência do controle biológico.

Alluagro
www.alluagro.com.br

A Alluagro trabalha com inteligência em geolocalização de máquinas e implementos agrícolas. Através de um aplicativo mobile conecta prestadores de serviços a produtores rurais com mais agilidade e profissionalismo. Atua com o proposito de eliminar a ociosidade de maquinários agrícolas no mercado brasileiro, em que fazendeiros atendem fazendeiros. A Alluagro é um marketplace dedicado a minimizar custos de logística para conectar prestadores de serviços agrícolas a áreas demandadas por produtores rurais, gerando economia à fazenda.

Coimma – Comércio e Indústria Metalúrgica Madeira São Cristovão Ltda
www.coimma.com.br

A Coimma foi fundada em 1951 como uma oficina para consertos de carrinhos de tração animal, na cidade de Dracena – SP, sob o nome de Oficina São Cristóvão. Com a evolução da região e principalmente da pecuária, em 1968 a Coimma foi constituída para focar no mercado de balanças e troncos de contenção animal. A Coimma tem uma ampla linha de equipamentos para pesagem e contenção bovina. O destaque entre os equipamentos de contenção é o Megatron, um tronco de contenção hidráulico desenvolvido para garantir a segurança do operador e o bem-estar dos animais, além de aumentar a produtividade no manejo da fazenda. Além disso, a Coimma possui diversos equipamentos de contenção da linha tradicional, com destaque para o Tronco Robust, Convencional e Americano. Entre os equipamentos de pesagem há a BalPass, um sistema de pecuária de precisão que foi desenvolvida, em parceria com a Embrapa, para pesar o gado à pasto, evitando, assim, a necessidade de levar o rebanho até o curral.

Ectare App S/A
www.ectare.com.br

A E-ctare surgiu em outubro de 2017 como plataforma eletrônica que aproxima produtores de café (vendedores) dos compradores.  Funciona como um aplicativo gratuito para cotação de café que utiliza algoritmo especifico, com precificação de cada atributo do café, como, por exemplo, bebida, percentual de defeitos, percentual de peneira, aspecto, região etc. O algoritmo é atualizado instantaneamente pelas cotação do dólar e pela cotação de Nova Iorque, recalculando todos os lotes individuais, e lançados na  base de dados.

Macofren Tecnologias Químicas
www.macofren.com

A Macofren é uma startup que desenvolve tecnologias químicas disruptivas para combater, em diferentes mercados, fraudes e contaminações, principalmente aquelas causadas pela adição de metanol e formol. Com a proposta de prover testes de qualidade rápidos, robustos e de baixo custo, a Macofren possibilitou que a indústria e o consumidor final pudessem avaliar se seu produto ou matéria-prima estão em boas condições de qualidade e usabilidade. Criada dentro do programa de incubação de empresas base tecnológica da Universidade de Brasília em 2012, o primeiro produto foi FormFix, um reagente detector de formaldeído em leite, uma maneira mais rápida e prática de fazer essa análise, que muitos produtores de leite aprovaram.

ManejeBem - Assessoria em Agricultura Sustentável LTDA
www.manejebem.com.br

A ManejeBem é uma startup de SC que desenvolve solução de aplicativo próprio para viabilizar o serviço de assessoria agronômica remota. Desenvolveu um protótipo da rede social via website foi finalizado e conta com mais de 13.500 usuários do site/mês e em torno de 3.800 perfis cadastros na plataforma. A equipe da ManejeBem também iniciou trabalhos de assessoria remota com foco em produção orgânica através do aplicativo “Plantix” desenvolvido pela Startup alemã Peat, parceira da iniciativa. Atualmente estão desenvolvendo projeto-piloto de assistência técnica remota com foco na qualificação destes pequenos produtores para atender restaurantes e cozinhas industriais. Já são mais de 45 unidades de produção familiar que participam do primeiro núcleo do projeto.

Shimejito
https://www.shimejito.com

É uma empresa de TI que tem foco no segmento de Urban Farming baseado em internet das coisas e economia colaborativa, seguindo as tendências mais modernas do mercado de tecnologia, algumas em curso no exterior. Produzem tecnologia de produção acessível para grandes, pequenos e novos produtores, com uma barreira de entrada extremamente acessível para a produção de alimentos orgânicos. A Shimejito faz todo o processo desde a inoculação, empotamento até deixar preparado para o momento do cultivo e colheita. Utilizamos técnicas modernas, com uso de Iot, para garantir maior produtividade e escalabilidade.

Sintecsys
www.sintecsys.com

A Empresa iniciou os estudos em 2015, contendo sistema de detecção automática de incêndios florestais e em plantações, desenvolvendo simultaneamente vários outros projetos que iam desde sistema de sensores de umidade do solo, passando por estações meteorológicas on line de baixo custo, iniciando suas atividades em novembro de 2016 apresentando ao mercado a solução turnkey para detecção automática de incêndios em florestas e plantações com detecção automática de fumaça com até 15km de raio de distância.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo