Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Sucessão e a gestão estratégica da propriedade rural

- Sucessão e a gestão estratégica da propriedade rural

O tema sucessão na propriedade rural vem sendo debatido e incentivado pelas cooperativas para que haja continuidade do trabalho no campo e, também, para que os filhos possam se capacitar e implementar inovações através do conhecimento, tecnologia e métodos mais eficazes e assertivos de produção, otimizando espaços, diminuindo custos e  consequentemente, mais lucratividade e qualidade de vida. E na região de atuação da Primato Cooperativa Agroindustrial, existem exemplos significativos desse formato de suceder o trabalho. Em grande maioria, os pais continuam na propriedade, porém, reduzem sua atuação e deixam os filhos gerenciarem a produção. E isso vem dando certo.

Cascavel 

Este é o exemplo da família Garlet, de Sede Alvorada, atendida pela unidade de Cascavel da Primato. O cooperado Adriano Garlet é quem faz a gestão da  propriedade e vem implementando melhorias para que a produção possa ser feita de forma assertiva, sem esquecer os valores que seu pai, Lucindo Garlet lhe ensinou. Com uma área total de 11 alqueires, a propriedade tem atividade agrícola para silagem e pecuária leiteira. “A silagem é utilizada para o consumo dos animais, e temos na parte de pecuária leiteira a atividade principal. Atualmente estamos com um plantel de 100 animais, sendo 43 em lactação, com uma média de produção de 25 litros cada”, explicou Lucindo que complementou, “hoje quem toca a propriedade é nosso filho Adriano, que também busca fazer melhorias na produção. Nós estamos envelhecendo e apenas ajudamos, mas felizes que ele venha tomando conta da propriedade”.

Rações Primato  

Sobre o uso das rações da Primato, tanto pai quanto filho classificam como positivo e de qualidade. “Faz algum tempo que utilizamos as rações da Primato e podemos avaliar como positivo, especialmente na produção do leite e na saúde dos animais”, avaliou Lucindo. Por sua vez, Adriano apontou os principais fatores do impacto das rações no plantel. “Sem desfazer das outras empresas, desde que iniciamos o uso das rações da Primato, melhorou muito, pois os animais estão mais sadios, tendo impacto na sanidade, na produção individual e geral de leite, além do crescimento das novilhas e bezerros. Faz dois anos que estamos utilizando e não pretendemos mudar”.

Cooperativa 

No que diz respeito da relação com a cooperativa, Adriano classificou como positiva. “A relação com a cooperativa é boa e positiva, assim como toda relação, seja pessoal, profissional ou comercial, às vezes ocorre algum atrito, porém, conversando e alinhando chegamos em um entendimento”, comentou o cooperado que concluiu, “mas com a Primato temos uma boa parceria e estar com a cooperativa é muito positivo para nossa família, por isso considero satisfatória esta relação”. 

Fonte: Assessoria Primato

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo