Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Beterraba transgênica revoluciona indústria

Créditos: Pixabay - Beterraba transgênica revoluciona indústria
Créditos: Pixabay

Especialistas e produtores de beterraba do mundo todo estão afirmando que a sua variedade transgênica tem revolucionado o manejo e também reduzindo o impacto ambiental da produção de culturas intensivas em mão-de-obra. De acordo com o vice-presidente da Alberta Sugar Beet Growers, Gary Vucurevich, a beterraba transgênica é tolerante ao herbicida glifosato.

"Já faz nove anos que estamos cultivando beterraba tolerante ao glifosato. É um enorme benefício para nós, agricultores, não apenas em termos de controle de ervas daninhas, mas também eliminamos muito do trabalho associado à beterraba sacarina", comenta.

Inicialmente, os campos de beterraba eram frequentemente eliminados manualmente por equipes. exigindo muita mão de obra humana e também causando degradação do solo e erosão. Nos últimos anos, o especialista afirmou que os herbicidas se tornaram amplamente disponíveis, mas eles tinham limitações.

“Quando o controle químico de ervas daninhas chegou, fomos capazes de eliminar o trabalho manual, mas os produtos químicos usados para pulverizar as beterrabas eram realmente muito prejudiciais à cultura. Eles realmente não fizeram um bom trabalho de controlar as ervas daninhas. Isso envolveria entre quatro e seis passes com diferentes misturas de herbicidas para controlar as ervas daninhas e obteríamos razoável controle de ervas daninhas, mas não era ótimo”, indica.

Um estudo de 2018 da Universidade de Idaho, nos Estados Unidos, afirmou que a beterraba sacarina é "indiscutivelmente uma das culturas mais adequadas para a tecnologia GR (resistente ao glifosato)". “Porque outros herbicidas não são tão eficazes, a beterraba exige uma rotação de culturas longa, seu fluxo gênico é insignificante eles são bienais e colhidos antes do florescimento e porque o processamento degrada o DNA da beterraba”, conclui.

Fonte: Agrolink

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo