Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Seca diminui gado australiano em 24,6 milhões de cabeças

Créditos: Pixabay - Seca diminui gado australiano em 24,6 milhões de cabeças
Créditos: Pixabay

O novo relatório do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) indicou que o rebanho bovino australiano deverá diminuir ligeiramente para 24,6 milhões de cabeças em 2019, devido às condições de seca nas principais regiões produtoras de gado. Isso porque condições de clima muito seco e quente resultaram em baixo crescimento das pastagens e altos preços dos grãos em boa parte do leste da Austrália. 

“Espera-se que essas condições continuem durante a primeira parte do ano e provavelmente reduzirão os esforços de reconstrução do rebanho. Estima-se que entre 300.000 e 500.000 cabeças de gado sejam perdidas no rebanho nacional devido a inundações severas no norte de Queensland em fevereiro de 2019”, disse o texto. 

Além disso, o abate de bovinos em 2019 está previsto em 7,9 milhões de cabeças, abaixo dos 8,33 milhões de cabeças estimados para 2018 e o abate de vacas deverá cair para 3,5 milhões em 2019, ante quase 4 milhões em 2018, sendo que a safra de bezerros deve cair para 8,7 milhões de cabeças em 2019. A produção de carne bovina e de vitelo em 2019 está prevista em 2,18 milhões de toneladas, abaixo da estimativa de 2,3 milhões de toneladas do ano anterior. 

“As exportações de carne bovina em 2019 estão previstas em 1,53 milhão de toneladas, uma queda de 8% em relação ao ano anterior, devido ao menor abate e peso de carcaça. Prevê-se que as exportações de carne bovina para os Estados Unidos diminuam devido ao aumento da concorrência de produtores domésticos e de outros países que expandem suas exportações para esse mercado. Em outros mercados, como Japão, Coréia e China, os exportadores australianos de carne bovina também enfrentam uma maior concorrência de outros exportadores, como os Estados Unidos e o Brasil”, conclui. 

Fonte: Agrolink

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo