Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Setor inicia o ano com alta produção de carne de frango

Créditos: Pixabay - Setor inicia o ano com alta produção de carne de frango
Créditos: Pixabay

A partir dos pintos alojados internamente nos últimos 45 dias de 2018 e mantendo como parâmetros os mesmos índices anteriores de produtividade (por exemplo, peso médio de 2,440 kg para o mercado interno), a APINCO estimou que o potencial de produção de carne de frango do primeiro mês de 2019 foi pouco superior a 1,185 milhão de toneladas.

Como, no período, não foram registradas ocorrências (de mercado ou ambientais, por exemplo) que interferissem na produtividade do setor, é provável que esse potencial tenha sido alcançado e, assim, o volume efetivamente produzido no mês aumentou mais de 4% em relação ao mês anterior, dezembro de 2018, além de ter ficado 1,5% acima do registrado em janeiro de 2018.

Essa foi, também, a maior produção registrada desde abril de 2018, ou seja, em relação ao ano que passou só perde para o resultado de março – quase 1,2 milhão de toneladas. Porém, o que mais surpreende no alto potencial apontado é que ele ocorreu no princípio de um novo exercício, ocasião em que, normalmente, o consumo é recessivo em decorrência das férias de parte da população e dos tradicionais compromissos financeiros (IPTU, IPVA, matrícula e material escolar, dívidas assumidas no período de Festas, etc.) que recaem sobre o consumidor.

Porém, avaliando os níveis de produção atingidos mensalmente desde 2015, o AviSite constatou que não se trata de ocorrência inédita para o mês, pois dois anos atrás, em janeiro de 2017, já se apontava produção superior a 1,2 milhão de toneladas. Aliás, esse resultado permanece como o de maior produção do setor em todos os tempos. Notar, além disso (gráfico abaixo, à direita), que já em 2015 houve momentos (agosto e outubro) de produção superior à de janeiro de 2019.

A despeito, porém, do elevado resultado do mês, a queda no volume acumulado nos últimos 12 meses permanece. O estimado para o período é um volume pouco superior a13,3 milhões de toneladas. E isso representa redução de quase 2% sobre os mais de 13,5 milhões de toneladas dos 12 meses anteriores.

Fonte: Avisite

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo