Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Fórum regional reforça foco na produtividade

- Fórum regional reforça foco na produtividade

Com a participação de cooperados e técnicos da Cocamar e representantes de empresas apoiadoras, o Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb) promoveu na manhã de quinta-feira (13) em Maringá (PR), na Associação Cocamar, o Fórum Regional de Máxima Produtividade de Soja.

“Quem vai ganhar dinheiro com soja é o produtor que conseguir elevar sua média de produtividade”, afirmou na abertura o vice-presidente da cooperativa, José Cícero Aderaldo. Ele falou da importância do evento para motivar os cooperados a investirem na busca por novos patamares e lembrou que o concurso de produtividade da Cocamar foi inspirado na competição realizada pelo Cesb. Segundo ele, desde quando, há cinco anos, a cooperativa decidiu desafiar seus cooperados a produzirem 250 sacas de soja por alqueire, muitos deles enxergaram o potencial a ser explorado e elevaram suas médias. No concurso da Cocamar, acrescentou, a produtividade vem aumentando ano após ano.

Em sua apresentação, o diretor-executivo do Cesb, Luiz Antonio da Silva, apresentou um vídeo mostrando o papel do Brasil como um dos principais fornecedores mundiais de soja. “A cada segundo, duas crianças nascem no mundo e a população global está mais longeva, o que impõe um grande desafio aos países produtores de alimentos”, lembrou.

Silva anunciou que, em 2019, o Fórum Nacional de Máxima Produtividade será sediado novamente em Maringá. Na edição deste ano, tanto o campeão de sequeiro quanto de irrigado foram do Rio Grande do Sul. O primeiro, de Sarandi, obteve a média de 127,01 sacas/hectare na área do concurso; o segundo, Vítor Cecilin, de Pinhal Grande, colheu 113,04 sacas/hectare.

Em sua palestra sobre Nutrição de Plantas – “Como ela pode limitar a Produtividade?”, Silvano Abreu, PhD em Ciência do Solo pela Oklahoma State University, dos Estados Unidos, começou dizendo que a erosão é um câncer da lavoura, que vai destruindo o solo aos poucos. “Depois da família, a terra é o bem mais valioso do produtor”, disse Abreu, destacando que diante da grande competitividade que se faz necessária hoje em dia, “ou o produtor aumenta suas habilidades para lidar com o negócio ou diminui os seus sonhos.

Fonte: Cocamar