Aeroporto vira abrigo para imigrantes afegãos fugidos da guerra

São 153 pessoas, agrupadas em pelo menos 30 famílias, acampadas no saguão do Aeroporto Internacional de Guarulhos (SP). Buscando abrigo no Brasil, o número de imigrantes afegãos que fogem da guerra e do regime do Talibã aumenta e a saída é “acampar”, provisoriamente, no terminal, à espera de acolhimento. 

Os mais de 150 afegãos desembarcaram em São Paulo entre maio e agosto deste ano. A quantidade preocupa os serviços de assistência social responsáveis pela primeira ajuda a esse grupo, já que é preciso dar dignidade a quem mais precisa.  

Muitos, no improviso, dormem em lençóis, cobertores ou colchonetes em um dos corredores do aeroporto. Um mínimo de sobrevivência para quem não tem perspectiva de emprego e dinheiro. 

Os imigrantes vieram por meio do visto humanitário concedido pela Embaixada do Brasil no Afeganistão e autorizado pelo governo brasileiro. Com o fim da intervenção militar dos Estados Unidos, após 20 anos, grupos extremistas afegãos tentam tomar o poder. A difícil saída aos afegãos é tentar a sorte em uma nova terra. 

Segundo a prefeitura de Guarulhos, mais de 400 afegãos desembarcaram no Brasil de abril até setembro. Sem falar outro idioma e sem parentes, os imigrantes dependem apenas da assistência social para necessidades básicas, como alimentação e moradia. 

Uma “casa abrigo” foi aberta na cidade para atender imigrantes de outros países, até que eles consigam algo que garanta estabilidade. O local, porém, não tem vagas suficientes para atender a demanda. Além disso, a Secretaria de Assistência Social de Guarulhos depende do suporte dos governos estadual e federal. Até então, insuficientes. 

Informações SBT News