Biden diz que retirada da obrigatoriedade de máscaras por Estados é “grande erro”

NOVA YORK (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta quarta-feira que as decisões de acabar com o uso obrigatório de máscaras –como as dos governadores do Texas e do Mississippi– equivalem a um “pensamento Neandertal”, dado o número crescente de mortos pela pandemia de coronavírus.

Questionado se tinha uma mensagem para o Texas e o Mississippi, Biden disse aos repórteres: “Acho que é um grande erro. Veja, espero que todos já tenham percebido que essas máscaras fazem a diferença.”

Biden afirmou que o aumento da disponibilidade de vacinas está fazendo a diferença na contenção da pandemia de Covid-19, mas que é fundamental permanecer vigilante quanto ao uso de máscaras, lavar as mãos e manter o distanciamento social.

“A última coisa, a última coisa que precisamos é o Neandertal pensando que ‘está tudo bem, tire a máscara, esqueça'”, disse Biden antes de uma reunião com parlamentares republicanos e democratas para discutir sobre o tema do câncer.

Biden ressaltou que mais de 511.000 pessoas morreram da doença nos Estados Unidos, e levará algum tempo até que todos sejam vacinados.

Os casos de Covid-19 nos Estados Unidos permanecem em mais de 50.000 por dia, mesmo depois que o governo dos EUA distribuiu mais de 100 milhões de doses de vacinas e aplicou injeções em mais de 50 milhões de pessoas, de acordo com dados federais.

(Reportagem de Jarrett Renshaw, Carl O’Donnell, Andrea Shalal e Lisa Lambert)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH221NT-VIEWIMAGE