Caixa anuncia condições diferenciadas para clientes mulheres

A Caixa Econômica Federal oferecerá vantagens para o público feminino em produtos e serviços. Estão na cesta do Caixa para Elas a redução de taxas de juros em linhas de crédito, pausa no pagamento das prestações de empréstimos em caso de maternidade ou adoção, isenção de tarifas, além de investimentos com rentabilidade diferenciada.

Algumas das facilidades já podem ser contratadas, enquanto outras serão oferecidas até o fim do mês. As medidas têm caráter permanente, conforme anúncio da presidente do banco, Daniella Marques.

Ela disse ainda que as medidas pretendem incentivar, entre elas, o empreendedorismo e a independência feminina. A instituição também se comprometeu a desenvolver ações que protejam mulheres contra a violência.

“Unimos esforços ao governo federal, através do Ministério da Mulher e dos Direitos Humanos, para que a Caixa abraçasse a causa das mulheres. Além de ser o banco de todos os brasileiros, passa a atuar com toda a sua potência de rede também na prevenção e no combate à violência”, disse Daniella.

Só para elas

Entre os programas diferenciados está o Seguro Vida Mulher, com isenção no pagamento em caso de câncer em geral, e indenização, em caso de câncer de mama, ovário e útero. Tem ainda a Previdência Vida Mulher, que oferece uma consulta ginecológica por ano e pagamento de R$50 mil em caso de nascimento de gêmeos.

A Caixa ainda oferece três meses de isenção nos serviços da conta corrente, no aluguel da máquina para cobrança via cartões Azulzinha para faturamentos a partir de R$100 e investimento em renda fixa, do tipo LCI, com rentabilidade de até 1 ponto porcentual a mais do CDI.

Até o fim de setembro, as clientes gestantes ou recém-adotantes contarão também com a possibilidade de pausa no pagamento por quatro meses na CDC, nos contratos de renegociação de dívida e no Crédito Pessoal e Energia Renovável.

Durante a licença-maternidade, será disponibilizado o pagamento parcial da prestação de financiamento imobiliário. Conforme a Caixa, a mulher pagará 75% da parcela por seis meses, com a incorporação do saldo devedor, se o contrato estiver inadimplente.

Denúncias de assédio

Daniella assumiu a presidência da Caixa no início de julho, após Pedro Guimarães ser afastado do cargo por denúncias de assédio a funcionárias.

Sobre as denúncias, ela disse que existe uma equipe focada nas investigações, que também são monitoradas pelo Conselho de Administração da Caixa, do qual ela faz parte.

“O andamento dos trabalhos é sigiloso, o que não significa que não estão acontecendo e estão sendo monitorados por outros órgãos”, disse Daniella.

Informações SBT News