Colômbia cria nova unidade militar para combater tráfico de drogas e grupos armados

Por Luis Jaime Acosta

BOGOTÁ (Reuters) – A Colômbia lançou nesta sexta-feira uma nova unidade militar para combater produção de cocaína, mineração ilegal e grupos armados clandestinos que usam essas atividades para obter ganho financeiro.

A decisão de criar a unidade, conhecida como Conat, chega no momento em que o país se prepara para retomar a fumigação aérea de cultivos de coca com o herbicida glifosato, possivelmente a partir do final de março. O governo aguarda uma aprovação do Tribunal Constitucional.

“A unidade nasceu para atingir, reprimir e desmantelar as estruturas do tráfico de drogas e das ameaças transnacionais ligadas à mineração ilegal, ao tráfico de vida selvagem e pessoas e –é claro– qualquer forma transnacional de terrorismo”, disse o presidente da Colômbia, Iván Duque, em uma base militar de Tolemaida.

A Colômbia, considerada a maior produtora mundial de cocaína, suspendeu a fumigação aérea com glifosato em 2015 depois que a Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou que o produto químico é potencialmente danoso à saúde e ao meio ambiente.

A nova unidade, que consiste de sete mil efetivos, será enviada a zonas como a região de Catatumbo, na fronteira com a Venezuela, assim como as províncias de Cauca e Putamayo, disse o ministro da Defesa, Diego Molano.

A Colômbia enfrenta uma pressão constante do Estados Unidos, um dos principais destinos da cocaína, para diminuir o tamanho dos cultivos de coca, o principal ingrediente da droga.

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH1P1DH-VIEWIMAGE