Diversidade e Netflix dominam Globo de Ouro em noite de triunfo de “Nomadland”

Por Jill Serjeant

Chloe Zhao aceita prêmio de melhor direção por "Nomadland" durante cerimônia virtual de entrega do Globo de Ouro

LOS ANGELES (Reuters) – O drama “Nomadland” e a sátira “Borat: Fita de Cinema Seguinte” conquistaram prêmios no Globo de Ouro de domingo, uma cerimônia essencialmente virtual transmitida nas duas costas dos Estados Unidos e marcada pelo domínio da Netflix e por apelos emotivos por mais diversidade.

“Nomadland”, drama comovente sobre os moradores de vans na América em recessão, também garantiu o prêmio de melhor diretor para a chinesa Chloe Zhao e fez dela a segunda mulher a triunfar no Globo de Ouro nesta categoria e a primeira mulher de ascendência asiática a vencer.

Os dois troféus de “Nomadland” aumentam o prestígio do filme antes das indicações de março para o Oscar.

Sacha Baron Cohen, o criador de “Borat: Fita de Cinema Seguinte”, foi escolhido melhor ator de comédia, e a cantora Andra Day surpreendeu ao ser homenageada como protagonista de “Os Estados Unidos vs. Billie Holiday”.

“Donald Trump está contestando o resultado!”, brincou Baron Cohen a respeito da vitória da sequência de “Borat”, uma sátira da América do ex-presidente.

“Mank”, filme de época da Netflix sobre o roteirista de “Cidadão Kane”, Herman Mankiewicz, recebeu seis indicações, mas terminou a noite de mãos vazias.

Mas o serviço de streaming foi o grande vencedor da noite, conseguindo quatro prêmios de cinema e seis de televisão, entre eles o de melhor série dramática de TV para “The Crown” e o de melhor minissérie para a saga de uma enxadrista em “O Gambito da Rainha”.

A confraternização costumeira de estrelas de primeira grandeza em um jantar de gala em Beverly Hills, na Califórnia, foi substituída por webcams nas casas de celebridades, que ou se arrumaram para a ocasião, ou se mostraram mais casuais, como Jason Sudeikis, astro de “Ted Lasso”.

Apresentada por Tina Fey em Nova York e Amy Poehler em Beverly Hills, a atração contou com trabalhadores mascarados da linha de frente do combate ao coronavírus na plateia escassa.

Jodie Foster, premiada como melhor atriz coadjuvante pelo drama de tribunal “The Mauritanian”, disse aos repórteres nos bastidores que, para ela, foi uma das melhores cerimônias do Globo de Ouro. “Não senti que teve tantos artifícios”, disse.

Entre os momentos comoventes esteve a entrega do prêmio póstumo de melhor ator a Chadwick Boseman, que morreu de câncer em agosto aos 43 anos, à sua viúva, Simone Ledward Boseman.

(Reportagem adicional de Lisa Richwine e Nichola Groom)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH2019O-VIEWIMAGE

Entre no grupo do Massa News
e receba as principais noticias
direto no seu WhatsApp!
ENTRAR NO GRUPO
Compartilhe essa matéria nas redes sociais
Ative as notificações e fique por dentro das notícias
Ativar notificações
Dá o play Assista aos principais vídeos de hoje
Colunistas A opinião em forma de notícia
Alisha
Alorino
Antônio Carlos
Bianca Granado
Camila Santos
Edvaldo Corrêa
Elaine Damasceno
Fabiano Tavares
Gabriel Pianaro
Giselle Suardi
Guilherme C Carneiro
Mateus Afonso
Mauro Mueller
Oseias Gomes
Papai em Dobro
Tais Targa