Dono de adega é preso suspeito de matar morador de rua a pauladas

Menos de dois meses depois, a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) concluiu o inquérito de um assassinato ocorrido na estrada que dá acesso ao zoológico, no bairro Alto Boqueirão, em Curitiba. Um empresário, que é dono de uma adega, no bairro Pinheirinho, foi preso como principal suspeito do crime.

O corpo de um homem, que era morador de rua, foi encontrado no dia 22 de abril, sem roupas e com lesões na cabeça ocasionadas por um pedaço de pau. Segundo a polícia, o empresário teria cometido o crime por conta de um desentendimento com o andarilho, que estava ameaçando o comerciante.

“Essa vítima teria adentrado ao estabelecimento e tentado furtar o local. Já tinha se desentendido com o proprietário e estava ameaçando ele de morte. Houve luta corporal e o empresário acabou matando a vítima. Temos testemunhas a respeito da conduta do homem, que era morador de rua e que praticava pequenos furtos e ameaças na região”, explicou o delegado Tito Barichello, da DHPP.

Durante o interrogatório prestado na Divisão de Homicídios, o empresário apresentou duas versões sobre como teria tirado a vida do morador de rua. Em um primeiro momento, o comerciante relatou que levou ele ainda com vida até a estrada do zoológico. Ao contrário do que havia relatado, ele também chegou a dizer que cometeu o crime dentro da empresa e que, posteriormente, desovou o corpo em meio aos entulhos.

Sem antecedentes criminais, o empresário vai responder ao processo em liberdade. Ele foi indiciado por homicídio simples e o delegado não pediu a prisão preventiva pelo fato de não representar risco à sociedade.

O corpo do andarilho ainda não foi identificado e permanece no Instituto Médico-Legal de Curitiba. Existe a suspeita de que ele era morador de outro estado.