Entenda a diferença entre as vacinas da Covid-19

O início da vacinação foi possível após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovar, neste domingo (17), o uso emergencial das vacinas da Sinovac e AstraZeneca no país. Nesta primeira fase da vacinação, serão usadas as doses produzidas pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. 

A Anvisa garantiu que a vacina é segura e os testes mostraram uma eficácia de 100% nos casos graves. Isto é, quando o paciente toma, mesmo que acabe contraindo o novo coronavírus, os sintomas são leves e não há necessidade de internamento em UTI. Já para os casos leves, a eficácia é de 78%. Neste caso, mesmo que a pessoa vacinada seja infectada, ela tem apenas sintomas leves. 

Já a vacina da AstraZeneca, feita em parceria com a universidade de Oxford, tem uma eficácia geral de 70,42% na primeira dose. O governo federal ainda negocia a compra de doses da vacina de Oxford com a índia. Para que a vacina seja incluída na campanha nacional contra a covid-19, ainda é preciso definição nestas negociações com a índia.

Veja mais informações sobre este e outros casos no Tribuna da Massa de Ponta Grossa desta segunda-feira (18):