Governador de Nova York pede desculpas, mas não renuncia após acusações de assédio sexual

Por Maria Caspani e Gabriella Borter

NOVA YORK (Reuters) – O governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse nesta quarta-feira que não vai renunciar após uma série de acusações de má conduta sexual feitas contra ele por mulheres jovens, mas fez um novo pedido de desculpas e prometeu “cooperar totalmente” com uma análise do procurador-geral do Estado.

“Não vou renunciar”, afirmou Cuomo em entrevista coletiva depois de apresentar um pedido de desculpas emocionado pelo comportamento que “deixou as pessoas desconfortáveis”.

“Eu me sinto péssimo com isso e, francamente, estou envergonhado”, disse o governador democrata, que também contestou alegações das últimas semanas de que seu governo buscou minimizar o número de idosos em asilos mortos por Covid-19 desde o início da pandemia.

Cuomo disse que seu comportamento em relação às mulheres que o acusaram de má conduta não foi intencional e que nunca tocou em ninguém de forma inadequada.

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH221SQ-VIEWIMAGE