Homem suspeito de usar fotos íntimas para ameaçar jovem é preso

A Polícia Civil do Paraná com os policiais no Núcleo de Combate ao Cybercrimes prendeu em flagrante um homem de 39 anos em Fazenda Rio Grande

Você já deve ter ouvido falar sobre stalker. Uma coisa é você admirar a pessoa, seguir, curtir as fotos, a outra é isso se tornar uma obsessão e você interferir na liberdade dela, na intimidade e começar a persegui-la. Pois é, isso agora é crime.

Stalking – artigo 147 a.

O artigo 147- a, do Código Penal diz: “perseguir alguém, reiteradamente e por qualquer meio, ameaçando-lhe a integridade física ou psicológica, restringindo-lhe a capacidade de locomoção ou, de qualquer forma, invadindo ou perturbando sua esfera de liberdade ou privacidade”.

O crime afeta a liberdade, mas que também podem ser afetados a honra, a integridade moral ou a intimidade da pessoa. A pena é de reclusão de seis meses a dois anos, e multa

A pena é aumentada de metade se o crime é cometido:

I – contra criança, adolescente ou idoso;

II – contra mulher por razões da condição de sexo feminino- que foi o que aconteceu nesse caso de fazenda rio grande

III – mediante concurso de 2 (duas) ou mais pessoas ou com o emprego de arma.

Um homem de trinta e nove anos foi preso. Tudo começou em dezembro do ano passado quando uma mulher começou a conversar com ele pelo celular/whatsapp. Mas em março deste ano eles começaram a trocar mensagens mais íntimas, inclusive fotos, o famoso nudes. Daí os problemas começaram, o stalking apareceu.

É um crime em que a vítima precisa representar, ou seja, prestar queixa contra o perseguidor. A mulher procurou a polícia porque estava acuada. O homem, além de ligar dezenove vezes, ficou ameaçando ela, dizendo que iria mandar as fotos íntimas para a família dela.

Mas a polícia agiu rápido e o homem foi preso.

Veja mais detalhes sobre este caso na reportagem completa do Tribuna da Massa Curitiba desta segunda-feira (05):