Ibovespa fecha em queda após volatilidade com quadro fiscal; Petrobras pesa

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) – O Ibovespa fechou em queda nesta quarta-feira, após mais uma sessão volátil, afetada por perspectivas relacionadas ao cenário fiscal brasileiro e agravamento da pandemia de Covid-19, com Petrobras novamente entre as maiores pressões negativas.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,32%, a 111.183,95 pontos.

Na parte da tarde, o Ibovespa chegou a superar os 112 mil pontos, com o BTG Pactual relacionado a melhora a comentários do presidente da Câmara dos Deputados no sentido de manter o Bolsa Família dentro do teto de gastos.

“Tanto o Senado quanto a Câmara votarão as PECs sem nenhum risco ao teto de gastos, sem nenhuma excepcionalidade ao teto. Essas especulações não contribuem para o clima de estabilidade e previsibilidade”, afirmou Lira no Twitter.

Um gestor ouvido pela Reuters também citou ruídos de que Ministério da Economia estava evoluindo nas negociações com os senadores para não retirar o Bolsa Família do teto de gastos como componente para a melhora.

O novo parecer da PEC Emergencial, com uma versão mais desidratada da proposta, de forma a facilitar sua votação, foi oficialmente protocolado e lido em plenário na terça-feira.

No mercado, houve ruídos sobre o Bolsa Família ser retirado do teto, movimento visto como negativo do ponto de vista fiscal. Na versão protocolada não havia previsão de retirada do Bolsa Família, mas especulava-se a possibilidade de mudanças.

“Tudo que envolve contabilidade criativa para financiar gastos públicos é motivo para uma resposta negativa do mercado”, reforçou o analista Rafael Ribeiro, da Clear Corretora.

Mais cedo, no pior momento, o Ibovespa chegou a recuar 3,6%.

O noticiário vespertino também trouxe informações de que o Ministério da Saúde vai assinar com a Pfizer para comprar vacinas do laboratório contra Covid-19.

O governador de São Paulo, por sua vez, anunciou que o Estado voltará à fase mais restritiva do plano de quarentena, na qual somente atividades consideradas essenciais podem operar, a partir de sábado, por 14 dias.

Logo após o fechamento, o Ministério da Saúde divulgou 1.910 novas mortes em decorrência da Covid-19, novo recorde para um dia desde o começo da pandemia.

Em meio à volatilidade, a temporada de balanços no Brasil continuou no radar com Magazine Luiza entre os destaques aguardados ainda nesta quarta-feira.

A B3 também divulgou novos horários de negociação a partir de 15 de março, em razão do começo do horário de verão nos Estados Unidos. No mercado à vista de ações, o fechamento será adiantado em 1h, para 17h.

DESTAQUES

– PETROBRAS PN e PETROBRAS ON caíram 3,64% e 4,29%, respectivamente, ainda afetadas por incertezas envolvendo a petrolífera, particularmente a autonomia para os preços de combustíveis. Quatro membros de seu conselho de administração rejeitaram indicação para recondução aos cargos. Após o fechamento, a companhia divulgou que mais um conselheiro afirmou que não pretende ser reconduzido. O Santander cortou a recomendação dos papéis para ‘manter’, bem como reduziu o preço-alvo da ON para 20 reais.

– ITAÚ UNIBANCO PN avançou 0,23%, após fechar com alta de 4% na véspera, enquanto agentes financeiros continuam avaliando os efeitos no setor após anúncio de aumento na alíquota da Contribuição Sobre Lucro Líquido (CSLL) nos bancos. BRADESCO PN subiu 0,88%. BANCO DO BRASIL ON avançou 0,21%, tendo ainda no radar ruídos envolvendo o comando do banco de controle estatal.

– CVC BRASIL ON caiu 4,53%, engatando a quinta sessão consecutiva de queda, em meio ao agravamento da pandemia de Covid-19 no país e o risco de recrudescimento em medidas de restrição de circulação.

– VIA VAREJO ON fechou em baixa 0,83%, perdendo o fôlego das máximas registradas no começo do pregão, quando chegou a subir 2,75%. A companhia passou de prejuízo para lucro no quarto trimestre, uma vez que o salto do comércio eletrônico e a reabertura de lojas físicas aceleraram ganhos de produtividade da dona das marcas Casas Bahia e Ponto Frio. MAGAZINE LUIZA ON subiu 3,5%.

– VALE ON cedeu 1,23%, apesar da alta do minério de ferro na China. No setor de mineração e siderurgia, o desempenho foi misto: CSN ON encerrou em alta de 1,66%, USIMINAS PNA ganhou 0,52% e GERDAU PN caiu 0,33%. Na China, os futuros do aço chegaram a atingir o maior nível em uma década, em meio a plano chinês de adotar mais medidas de proteção ao ambiente.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

(Edição Alberto Alerigi Jr.)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH221L1-VIEWIMAGE