Irã insiste em suspensão de sanções dos EUA para retomar negociação nuclear

Por Parisa Hafezi

DUBAI (Reuters) – O Irã disse nesta segunda-feira que os Estados Unidos deveriam suspender sanções em primeiro lugar se querem conversar com Teerã para salvar o acordo nuclear de 2015 com potências mundiais que o ex-presidente Donald Trump abandonou.

O presidente norte-americano, Joe Biden, disse que Washington está disposto a conversar sobre a retomada dos compromissos das duas nações com o pacto, segundo o qual Teerã obtém um alívio das sanções limitando suas atividades nucleares – mas os dois lados querem que o outro dê o primeiro passo.

O Ocidente teme que o Irã queira fabricar armas nucleares, enquanto a República Islâmica diz que isso nunca foi seu objetivo.

“O governo do presidente Joe Biden deveria mudar a política de pressão máxima de Trump para Teerã… se eles querem conversas com o Irã, primeiro deveriam suspender as sanções”, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Saeed Khatibzadeh.

No domingo, Washington disse que está decepcionada com a recusa de Teerã de realizar conversas, mas que está pronta para “retomar uma diplomacia sensata” e que consultará as grandes potências.

Enquanto o Irã exige a suspensão das sanções dos EUA primeiro, Washington diz que Teerã precisa voltar a cumprir o acordo, que o Irã vem desrespeitando progressivamente desde 2019.

A chancelaria iraniana exortou o Conselho de Governadores de 35 nações da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) a não “criar uma confusão” endossando uma iniciativa liderada pelos EUA para a adoção de uma resolução contra a decisão de Teerã de diminuir sua cooperação com a agência da Organização das Nações Unidas (ONU).

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH201D1-VIEWIMAGE