Mãe se envolve em acidente com a filha após enviar vídeo ao pai da criança dizendo que se mataria

Um gravíssimo acidente registrado na BR-386, em Lajeado, no Rio Grande do Sul, pode ter sido causado pela motorista de um veículo Fiat Uno vermelho, com placas de Cruzeiro do Sul, nesta segunda-feira (17). Segundo a polícia, a mulher seguia com a filha pela rodovia, quando acertou de frente um caminhão. Um vídeo enviado ao pai da criança minutos antes revela que a motorista tinha a intenção de cometer suicídio junto com a filha.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente aconteceu no km 344 da rodovia. A motorista, de 34 anos, acertou um caminhão e um terceiro veículo se envolveu na batida. Com a pancada, a mulher ficou inconsciente e presa nas ferragens. Durante o resgate, foi necessário utilizar um desencarcerador para fazer a remoção. O estado de saúde dela é grave.

A criança, de apenas dois anos, conforme os socorristas, estava no banco de trás utilizando cadeirinha e sofreu escoriações pelo corpo. Ela foi levada sem gravidade pra uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e, após passar exames, deve receber alta.

Nesta terça-feira (18), um vídeo que circulou pelos grupos de aplicativos de mensagem mostra a mãe informando que iria tirar a vida dela da própria filha, inclusive pedindo para que a menina se despedisse do pai. “Vamos se matar? Vamos se matar, [nome da filha]? Dá tchau pro papai, então”, diz um trecho do vídeo.

(Foto: Grupo Independente)

Tentativa de homicídio

A mulher, segundo a polícia, teve o pedido de prisão solicitado. Segundo a delegada, Shana Hartz, a Polícia Civil aguarda pela análise do Poder Judiciário. “Ela será enquadrada na tentativa de homicídio qualificado, primeiro porque é mãe, segundo pelo motivo fútil, pois ela não concorda com o fim do relacionamento e para punir o pai quer lesionar a filha”, explica.

Ainda segundo a polícia, a mãe não tinha histórico de doenças associadas com depressão. “É uma coisa que impacta, não é comum ver a pessoa atentar contra a vida do filho, o normal é a mãe tentar proteger o filho, o que não é o caso, infelizmente”, destaca.

A investigação do caso seguirá sendo realizada pela Polícia Civil e alguns familiares já foram ouvidos, inclusive o pai da criança.

Com informações da Rádio Independente