Milhares de peixes são encontrados mortos em pelo menos cinco praias; veja onde

A Prefeitura de Salvaterra, na Ilha do Marajó, no Pará, investiga o aparecimento de milhares de peixes mortos em pelo menos 5 praias da região. Imagens com os animais já em estágio de decomposição, espalhados pela faixa de areia à beira-mar, repercutiu nas redes sociais, ao longo do último final de semana.

Segundo a prefeitura, a espécie mais atingida foi a Gobioides broussonnetti, mais conhecida como “amoré” ou “peixe-dragão”, e a provável causa do incidente seria a brusca variação da salinidade nas áreas de encontro da água doce com a água salgada, durante as marés de sizígia, isto é, o alinhamento três corpos celestes pertencentes ao mesmo sistema gravitacional.

Contudo, apesar de apontar uma “situação de causas naturais”, a Prefeitura de Salvaterra indica que seguirá apurando, com a ajuda de especialistas, a causa da morte dos animais. “A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Salvaterra (SEMMA) tem buscado novas investigações junto a outros órgãos e Instituições para que possamos saber se há demais fatores influenciando este acontecimento”, informa a gestão municipal, em nota.

No documento, a prefeitura também recomenda que, devido ao estágio avançado de decomposição dos peixes, os mesmos não sejam consumidos e que os banhos nas praias afetadas sejam suspensos, de modo a evitar a proliferação de microorganismos nocivos à saúde.

Prefeitura de Salvaterra iniciou a remoção de peixes mortos | Reprodução/SBT

Ainda de acordo com o comunicado, os espécimes já começaram a ser removidos das praias pela SEMMA, em parceria com a Secretaria de Obras, Transportes e Urbanismo, e que os resíduos serão depositados em um local apropriado.

A Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará alega não ter sido notificada sobre o caso, e afirma que irá apurar o ocorrido junto às pastas municipais.

Informações SBT News