Moradores do município de Floresta se revoltam com lixão a céu aberto

Os moradores de Floresta, município a 29 km de Maringá, estão incomodados com um lixão a céu aberto que está se formando em um terreno da prefeitura, no qual funciona uma associação de recicláveis. Por ser em uma região de fácil acesso, muitas pessoas passam e fazem o descarte irregular do lixo, contribuindo para o aumento do problema. Os moradores reclamam a que a cooperativa recebe o lixo reciclável, mas também o comum que é deixado no local. Além disso, logo ao lado do lixão há um conjunto de casas que acaba precisando lidar com mau cheiro, moscas, ratos e baratas. A preocupação também é pela Dengue. O acumulo de água parada facilita para que o mosquito se reproduza e se torne uma ameaça. Segundo os vizinhos, já foi tentado passar veneno, mas os insetos e o odor atrapalham o conforto de estar em casa.

A Prefeitura de Floresta foi contatada, e por meio de nota, informou que o espaço está sob uso da Associação de Recicladores do Município de Floresta, a Reciflor, e que a responsabilidade pela separação dos recicláveis recolhidos é da Prefeitura e da administração do local. O lixo de descarte que não é aproveitado pela cooperativa é recolhido pelo município de modo regular. Além disso, também foi informado que não há registros de denúncias relativas ao problema ou a danos causados à população.

Para mais informações assista a reportagem completa do Tribuna da Massa Maringá desta sexta-feira (08):