Moradores fazem protesto depois de atropelamento

A Avenida Andradina já foi palco de vários acidentes de trânsito. Essa semana um menino de dez anos foi atropelado e está internado no hospital. Cansados das imprudências de motoristas na avenida, moradores da região protestaram pedindo providências.

O grupo bloqueou as duas pistas da Avenida Andradina no bairro Cidade Nova. Objetos queimados impediam o tráfego de veículos. Os bombeiros foram chamados para combater o fogo e liberar a avenida. Policiais militares e guardas municipais pediram reforço a fim de tentar dispersar os manifestantes que resistiram ali. O grupo pediu a punição do piloto que provocou um acidente dois dias antes.

Com cartazes e faixas nas mãos, cerca de cem moradores participaram do ato. Por ser uma das principais ligações com a região norte da cidade, uma fila de carros de aproximadamente mil metros se formou por causa do protesto. A avenida tem grande movimento. Por causa da imprudência de motoristas, uma menina ficou de cadeira de rodas por ser atropelada há três anos no mesmo trecho.

A menina hoje com nove anos, antes tinha uma vida normal mas agora ficou com sequelas. A criança teve que parar de estudar na segunda série do ensino fundamental por causa do acidente. Até hoje o motorista não foi identificado pois fugiu sem prestar socorro. 

Para os familiares, o garoto de dez anos atropelado pela moto há dois dias tomou os cuidados para atravessar, porém o piloto estava em alta velocidade. Todos pedem ainda além da atenção do poder público a conscientização dos motoristas que passam pelo local. 

O grupo da manifestação era formado pela maioria de mulheres, adolescentes e crianças. Entre as reclamações, os moradores pedem ainda mais condições para os pedestres. Para os moradores, o fluxo de carros é grande, os motoristas não respeitam e andam em alta velocidade. Na região, há uma escola, um Cras e um campinho de futebol bastante usado pelas crianças. Neste mesmo campinho estava o menino de dez anos antes de sofrer o acidente.

A criança foi socorrida pelo Siate e encaminhada às pressas ao pronto socorro. Dois dias após o acidente, ela continua internada. O menino teve que ser transferido do Hospital Municipal ao Hospital Ministro Costa Cavalcanti e segue em estado grave na UTI pediátrica.

Veja mais informações sobre este caso, assista a matéria completa do Tribuna da Massa Foz do Iguaçu desta sexta-feira (29):