Paraná é o segundo maior exportador de mel in natura em 2021

Segundo dados do Agrostat Brasil, ferramenta que reúne números de exportação e importação de produtos agropecuários, em janeiro e fevereiro de 2021, o Brasil exportou 8.891 toneladas de mel in natura. O volume é 112,4% superior às 4.186 toneladas do mesmo período de 2019. O faturamento foi de US$ 8,121 milhões para US$ 29,151 milhões, o que representa um aumento de 358,95%.

Neste cenário inicial, o Paraná é o segundo maior exportador de mel in natura. Nos dois primeiros meses, o Estado enviou 2.039 toneladas para o Exterior, com receita de US$ 6,360 milhões, um crescimento de 35,2% no volume e de 133,6% no faturamento, em comparação com os meses de janeiro e fevereiro de 2019. O estado que está em primeiro é o Piauí, com 2.825 toneladas e recursos de US$ 9,830 milhões.

Da mesma forma que no ano passado, os Estados Unidos continuam como o principal destino para o mel brasileiro, com 87% do volume exportado. Em seguida vem, em ordem, Alemanha, Canadá, Países Baixos, Reino Unido e Panamá.

Ao longo de 2020, o Brasil exportou 45.728 toneladas, um volume 50,5% superior ao obtido em 2019. O faturamento nacional foi 44,1% maior, chegando a US$ 98,560 milhões. Nesse cenário, o Paraná ocupou a terceira colocação, com 9.230 toneladas e entrada de US$ 18.238 milhões em recursos.

Feijão e mandioca

No Estado, a segunda safra do feijão está com 97% plantados. Em campo, 86% apresentam condições boas e 13% medianas. Em relação ao preço médio, os produtores paranaenses do feijão classe cores receberam 2,2% a menos em relação à semana anterior, já o classe preto mantém o mesmo patamar.

A colheita de mandioca avançou durante a semana no Paraná e, consequentemente, aumentou a oferta de matéria-prima às indústrias de fécula e de farinha.

Milho e soja

O plantio da segunda safra de milho atingiu 72% da área estimada de 2,4 milhões de hectares, com recuperação do atraso causado pelas condições climáticas. Da primeira safra, a colheita alcançou 64% da área prevista de 360 mil hectares.

Em relação à soja, a colheita está em 58% da área semeada na safra 2020/21. No entanto, mesmo com esse avanço, os trabalhos ainda estão atrasados em comparação com anos anteriores.

Colaboração AEN