Ataque a teatro em Mariupol pode ter matado 300 pessoas

LVIV, Ucrânia (Reuters) – Autoridades locais, citando relatos de testemunhas, disseram que até 300 pessoas podem ter sido mortas no bombardeio a um teatro na cidade sitiada de Mariupol, no sul da Ucrânia, em 16 de março.

O conselho municipal deixou claro que ainda não foi possível determinar o número exato de mortos após o incidente, no qual disse que um poderoso ataque aéreo russo atingiu o Teatro Drama, onde centenas de pessoas estavam abrigadas na cidade cercada.

O governo ucraniano havia dito anteriormente que era impossível dizer quantos foram mortos porque Mariupol está em caos e sob bombardeio quase constante das forças russas.

A Rússia tem negado ter bombardeado o teatro. O Kremlin diz que as forças russas não têm civis como alvo depois de invadir a Ucrânia em 24 de fevereiro.

“A partir de testemunhas vem a informação de que cerca de 300 pessoas morreram no teatro Drama de Mariupol como resultado do bombardeio de um avião russo”, disse o conselho municipal em comunicado nesta sexta-feira.

“Até o último momento, não se quer acreditar nesse horror. Mas as palavras daqueles que estavam dentro do prédio no momento desse ato terrorista dizem o contrário.”

Petro Andrushenko, assessor do prefeito de Mariupol, deu a mesma estimativa sem fornecer mais detalhes.

A chefe da missão de monitoramento de direitos humanos da ONU na Ucrânia, Matilda Bogner, disse que sua equipe não conseguiu obter informações suficientes para verificar o número de mortos no teatro.

“Estamos recebendo cada vez menos informações de lá (Mariupol) e, nesse caso específico, ainda estamos tentando verificar os detalhes”, afirmou ela a jornalistas de Genebra por videolink.

Autoridades ucranianas têm afirmado que cerca de 130 pessoas foram resgatadas dos escombros e que o porão do teatro tinha resistido ao ataque.