Bairro Novo do Caximba será piloto de economia circular em Curitiba

Técnicos e servidores da Prefeitura participaram nesta terça-feira (15) do I Workshop de Economia Circular da Cidade de Curitiba. O evento faz parte do acordo de cooperação técnica firmado em setembro de 2021 com a Fundação Ellen McArthur, entidade especializada no modelo de economia circular, com sede na Inglaterra.

Esse é o segundo momento de troca entre a fundação e o corpo técnico da Prefeitura em busca de estratégias para a transição da economia circular na capital e a construção da política municipal para o modelo.

“Para essa etapa, a ideia é fazermos um levantamento dos ativos que o município já tem para identificar as oportunidades e potencialidades de implantar essa economia mais sustentável”, explica Ana Jayme, assessora de investimentos internacionais e políticas públicas do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).

A área escolhida para receber os primeiros programas de aplicação da economia circular foi o Bairro Novo do Caximba. O maior projeto socioambiental em execução na capital paranaense nos últimos anos tem o desafio de recuperar a área ambiental degradada pela ocupação irregular ao mesmo tempo em que promove moradia digna para a comunidade. Além disso, o Projeto de Gestão de Risco Climático do Caximba vai conduzir o desenvolvimento social dos moradores da Vila 29 de Outubro, com capacitação e geração de renda.

“Curitiba vive um momento de crescimento urbano em que a infraestrutura pode ser um agente transformador para a economia circular. Temos a chance de conduzir o cidadão para aprender com a indústria, criando celeiros de inovação desse modelo de economia”, disse Daniel Berger, representante da Fundação Ellen McArthur.

Apoiada no tripé design, sustentabilidade e inovação, a economia circular busca soluções que promovam o empreendedorismo de forma sustentável, com uso racional de recursos naturais e sem desperdício. Em Curitiba, iniciativas como o núcleo de design conduzido pela Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação é um dos principais apoios para a execução da economia circular. Aliados a essa frente, programas como o FabLab (laboratório público de prototipagem), a Fazenda Urbana e as estratégias de Segurança Alimentar e de gestão de resíduos completam a expertise necessária para a construção dos primeiros modelos de economia circular na cidade.

A partir da exposição do Projeto de Gestão de Risco Climático do Caximba pelo arquiteto Mauro Magnabosco e a condução das ações sociais no território, compartilhado pela diretora de relações comunitárias da Cohab-CTA, Meiri Morezzi, os servidores da Agência Curitiba, Fundação Cultural de Curitiba, secretarias municipais de Educação, Meio Ambiente, Obras Públicas, Segurança Alimentar e Nutricional, Fundação de Ação Social, Unidade Técnico-Administrativa de Gerenciamento (Utag) e Procuradoria-Geral do Município foram envolvidos em grupos de trabalho.

Nesta quarta-feira (16/3), irão até a Vila 29 de Outubro para conhecer as potencialidades e os exemplos de economia circular informal que já existem e que foram mapeados pelo serviço social da Cohab. Histórias como a de um morador que tinha um ferro-velho e hoje compra materiais de construção usados para revender, estimulando a reciclagem de resíduos e gerando emprego. 

Informações da Prefeitura de Curitiba