Bolsonaro tem reunião para discutir preço dos combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro fez uma nova rodada de reuniões com o ministro da Economia, Paulo Guedes, e integrantes da ala política do governo federal. As conversas foram realizadas para discutir medidas para conter a alta dos preços dos combustíveis. Nesta quinta-feira (2), postos venderam gasolina com desconto, com forma de protesto contra os impostos.

Uma rede de postos de combustíveis em Brasília, por exemplo, viu uma fila gigantesca, a perder de vista, se formar. Isso porque, numa ação promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal, a gasolina foi vendida por R$ 5.

Em Belo Horizonte, motoristas dormiram na fila para conseguir encher o tanque com a gasolina ainda mais barata: R$ 4,80 o litro. “Estou aqui desde ontem, trouxe cobertor, trouxe comida, lanche”, disse um motorista ao mostrar que foi “equipado” para pernoitar à frente de um posto de combustíveis na capital mineira.

Na contramão, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) anunciou que a Petrobras reajustou o preço do querosene da aviação em 11%, no comparativo com o preço adotado em maio. No acumulado do ano, a alta desse combustível de 60%.

Reuniões com o presidente

Enquanto isso, em Brasília, o presidente Jair Bolsonaro fez nova rodada de reuniões com quatro ministros: Paulo Guedes (Economia), Adolfo Sachsida (Minas e Energia), Célio Faria (Secretaria de Governo) e Ciro Nogueira (Casa Civil).

Pela manhã, antes de se encontrar com os ministros, Bolsonaro disse que o governo federal está tentando abrir a Petrobras. “Mudamos o ministro de Minas e Energia, estamos tentando abrir a Petrobras”, comentou o mandatário do país.

Entre as medidas que o governo discute está a concessão de um subsídio temporário para o diesel, mas faltam recursos para isso. Uma solução debatida seria a reedição do decreto de calamidade, como aconteceu no primeiro ano da pandemia. Dessa forma, o governo federal poderia gastar mais do que o limite definido pelo teto de gastos.

Privatização da Petrobras

No meio da tarde, depois da conversa com Bolsonaro, Paulo Guedes participou da reunião dos integrantes do conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI). A privatização da Petrobras entrou no mês passado na lista do PPI, para que o conselho avalie como viabilizar a venda.

Após a reunião, o conselho do PPI afirmou que a privatização da Petrobras depende de aprovação prévia do Congresso Nacional.

Informações de SBT News