Anvisa impõe restrições imediatas para comércio de Carbendazim, ingrediente usado em agrotóxicos

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) emitiu um informe nesta terça-feira (9) alertando sobre a proibição do ingrediente ativo Carbendazim em produtos agrotóxicos.

Em nota, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que determinou, na segunda-feira (8), a proibição do ingrediente ativo em produtos agrotóxicos no Brasil.

“Os aspectos toxicológicos que motivaram a reavaliação do Carbendazim são as suspeitas de mutagenicidade, carcinogenicidade, toxicidade para o desenvolvimento e toxicidade reprodutiva” diz nota.

Dessa forma, a Agência suspendeu, de forma gradual, a importação, produção, comercialização e uso de produtos técnicos e formulados à base de Carbendazin.

A proibição definitiva foi marcada para o dia 8 de fevereiro de 2023. A partir dessa data, nenhum agrotóxico formulado com o ingrediente ativo poderá circular no país.

“Os produtos adquiridos pelos agricultores, pessoas jurídicas ou físicas, e pelas indústrias de tratamento de sementes, destinados ao uso final, poderão ser utilizados até seu esgotamento, respeitando o prazo de validade do produto. Os agrotóxicos à base de ingrediente Carbendazim, bem como todo e qualquer agrotóxico, só poderão ser comercializados e utilizados mediante Receita Agronômica prescrita por profissional de agronomia legalmente habilitado” informa a Anvisa.