Clube flutuante é arrastado para alto-mar no litoral de SC; vídeo

Um clube flutuante que seria inaugurado em Balneário Camboriú (SC) nos próximos meses foi arrastado para alto-mar nesta quarta-feira (10). O incidente é resultado dos fortes ventos provocados pelo ciclone extratropical que atinge o litoral catarinense e que já se aproxima da costa paranaense nas próximas horas.

Em nota, a empresa responsável pelo empreendimento informa que “a Dejour estava totalmente abrigada, em águas calmas, às margens do canal da Barra Sul, Balneário Camboriú/SC. A plataforma náutica estava ancorada com correntes e poitas no local em que se encontrava”.

No entanto, com os ventos fortes que atingiram a região, ultrapassando os 100 km/h, a estrutura não suportou e o clube foi parar em alto-mar, ficando à deriva. Várias equipes foram acionadas para tentar salvar a estrutura, sem sucesso.

A empresa responsável pelo clube flutuante emitiu uma nota, divulgada inicialmente pelo Portal SCC10:

A DEJOUR Club – primeiro floating club itinerante que iria inaugurar em breve em Balneário Camboriú – sofreu um golpe duro da natureza na manhã desta quarta-feira (10). Com passagem de um ciclone extratropical com chuva intensa e ventos fortes com a velocidade das rajadas ultrapassando 100km/h, que atinge o litoral de Santa Catarina, a estrutura da plataforma náutica se desprendeu e foi arrastada para alto mar na Praia Central.

Barcos de resgate foram acionados e o Barco Pirata também tentou ajudar e conter a Plataforma, mas não foi possível salvar, devido a força do vento e mar agitado. No momento em que ocorreu a tragédia nenhuma pessoa estava a bordo do clube.

A DEJOUR estava totalmente abrigada, em águas calmas, às margens do canal da Barra Sul, Balneário Camboriú/SC. A plataforma náutica estava ancorada com correntes e poitas no local em que se encontrava. “Estávamos esperando o período da pesca da tainha passar para deslocar a estrutura para o local certo na Barra Sul, e colocar todas as poitas previstas. Em nosso plano de fundeio estão previstas 16 poitas de 5 toneladas cada uma. Estas poitas só poderiam ser instaladas no local correto onde a plataforma funcionaria”, menciona Lucas Araújo, um dos sócios da DEJOUR.

Os profissionais envolvidos ressaltam, que com todas as poitas instaladas no seu devido local, segundo planos de engenharia náutica, a plataforma suportaria ventos maiores do que o ocorrido. No plano de funcionamento também está previsto que, em dias com ventos fortes a plataforma não abriria ao público.

Os empreendedores estão ativando um plano de resgate da estrutura e apresentarão uma forma de retomada do sonho o quanto antes.

“Neste momento pedimos aos familiares, amigos e público em geral, força e orações. Foram anos de trabalho duro, empenho, dedicação e uso de nossos recursos para viabilizarmos este empreendimento. Este sonho de levarmos alegria ao público náutico! Mas como todo brasileiro, não desistiremos nunca! Voltaremos em breve com um plano de retomada e reconstrução da DEJOUR do nosso sonho”, assinam os sócios da Dejour Club – sócios Álvaro Garnero, Reinaldo Oliveira, Lucas Araújo e Marlon Cristiano.

Com informações do portal SCC10.