Saúde investiga 16 casos suspeitos de hepatite aguda desconhecida

O Ministério da Saúde anunciou, na noite de segunda-feira (9), que o número de casos suspeitos de hepatite aguda de causa desconhecida em crianças passou de sete para 16. A doença vem sendo investigada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que identificou mais de 200 ocorrências em países da Europa e nos Estados Unidos.

No Brasil, estão sendo monitorados seis casos em São Paulo, cinco no Rio de Janeiro e dois no Paraná. As outras três infecções foram registradas nos estados do Espírito Santo, Santa Catarina e Pernambuco. No Rio, a morte de um bebê de oito meses, que morava no município de Maricá, também está sob investigação.

Segundo o ministério, os Centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs) e a Rede Nacional de Vigilância Hospitalar (Renaveh) estão monitorando alterações do perfil epidemiológico e a detecção dos outros casos suspeitos da doença. 

Análises da OMS mostram que o quadro clínico consiste em inflamação do fígado e inclui elevada taxa de enzimas hepáticas, vômito, diarreia e dores abdominais. Algumas das notificações relacionadas à hepatite aguda na Europa também apresentaram infecção pelo adenovírus (grupo de vírus que normalmente causam doenças respiratórias) e SARS-CoV-2 (covid-19).

A OMS recomenda que sejam realizados testes de sangue, soro, urina, fezes e amostras respiratórias para que outros países identifiquem, investiguem e notifiquem casos potenciais. Todas as informações devem ser reportadas para a entidade, que trabalha ao lado de autoridades britânicas para identificar o agente causador da doença.

Informações do SBT News