Brasileiro é encontrado morto em centro de detenção de imigrantes nos EUA

Um brasileiro morreu na última quarta-feira (24) enquanto estava sob custódia do departamento de imigração dos Estados Unidos (ICE). De acordo com o órgão, Kesley Vial, de 23 anos, estava internado desde 17 de agosto, quando foi encontrado inconsciente na instalação. 

Em 22 de abril, o jovem foi detido na cidade de El Paso, no Texas, depois de entrar ilegalmente no país. Kesley aguardava pela conclusão de seu processo de remoção desde então. 

Neste meio tempo, o brasileiro foi transferido para a custódia do Centro de Detenção do Condado de Torrance, no Novo México. Segundo o comunicado do ICE, em 17 de agosto, Kesley foi encontrado inconsciente pela equipe do local, que o transportou para a Hospital da Universidade do Novo México, onde ele ficou internado até a data do seu falecimento. Uma autópsia irá determinar a causa oficial da morte.

Ainda de acordo com o Departamento de Imigração e Alfândega dos EUA, “de acordo com os protocolos do ICE, os componentes apropriados foram notificados sobre a morte, incluindo o Escritório do Inspetor Geral (OIG) do Departamento de Segurança Interna (DHS) e o Escritório de Responsabilidade Profissional do ICE (OPR). Além disso, o ICE notificou o consulado brasileiro em Houston sobre a morte de Vial e os parentes mais próximos.”

O departamento também afirmou que “está firmemente comprometido com a saúde e o bem-estar de todos aqueles sob sua custódia” e realiza uma revisão abrangente em toda a agência sobre o acidente. A agência finaliza o comunicado informando que “as fatalidades sob custódia do ICE, estatisticamente, são extremamente raras e ocorrem em uma fração da média nacional para a população detida nos EUA.”

Em nota, o Itamaraty informou estar ciente do caso e em contato com as autoridades locais para apurar as circunstâncias do falecimento de Kesley Vial. Leia a nota na íntegra:

“O Ministério das Relações Exteriores, por meio do Consulado-Geral do Brasil em Houston, tem conhecimento do caso e está em contato com as autoridades locais com vistas a apurar as circunstâncias do falecimento do nacional. O Consulado permanece à disposição para prestar a assistência cabível aos familiares do nacional brasileiro, em conformidade com os tratados internacionais vigentes e com a legislação local.

Em caso de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, os consulados brasileiros poderão prestar orientações gerais aos familiares, apoiar seus contatos com autoridades locais e cuidar da expedição de documentos, como o atestado consular de óbito. Não há previsão regulamentar e orçamentária para o pagamento do traslado com recursos públicos.

Em observância ao direito à privacidade e ao disposto na Lei de Acesso à Informação e no decreto 7.724/2012, informações detalhadas poderão ser repassadas somente mediante autorização dos familiares diretos. Assim, o MRE não poderá fornecer dados específicos sobre casos individuais de assistência a cidadãos brasileiros.”

Informações de SBT News