Chefe de inteligência do Reino Unido diz que potências estrangeiras não são responsáveis por ataques racistas

LONDRES (Reuters) – O chefe do serviço de inteligência do Reino Unido disse nesta quarta-feira que há poucas evidências de que potências estrangeiras como a Rússia ou a China estejam por trás dos ataques racistas cometidos contra jogadores de futebol negros da seleção inglesa após a derrota na final da Euro 2020.

Dados da Premier League inglesa sobre o monitoramento de abusos contra jogadores mostraram que cerca de 70% dos casos envolvem abusos vindos de usuários de redes sociais fora do Reino Unido, disse uma fonte da liga à Reuters na terça-feira.

“Muito desse tipo de abuso racista que existe não é em si a forma particular de desinformação dirigida por um Estado que seria uma preocupação profissional direta para minha organização”, disse o diretor-geral do Serviço de Segurança britânico MI5, Ken McCallum, a repórteres.

“Se fôssemos buscar a culpa abertamente no exterior por esse fenômeno de racismo, poderíamos correr o risco de não assumirmos uma parte do problema que é nosso, dentro de nosso próprio país”, disse McCallum.