Chuvas em MG: veja a situação das principais cidades afetadas

O período chuvoso que atinge Minas Gerais desde outubro do ano passado continua deixando rastros de destruição por todo o estado. Segundo boletim divulgado pela Defesa Civil, na manhã de segunda-feira (10), 145 cidades já decretaram situação de emergência devido às constantes enchentes e deslizamentos de terra.

A capital mineira, Belo Horizonte, é uma das áreas mais atingidas pelos incidentes procedentes das chuvas e as autoridades de segurança se desdobram para atender todas as solicitações de resgate. Na região de Pampulha, por exemplo, a Avenida Alfredo Camarate precisou ser interditada devido à queda de parte da estrutura da pista, que fica às margens de um córrego.

O cenário é arrastado para outras ruas e avenidas do município, que também presenciaram a queda de árvores e deslizamentos de terra. Na manhã do último domingo (9), uma mulher de 42 anos morreu soterrada após sua casa desabar no bairro Vila São João Batista, na região de Venda Nova. A vítima chegou a ser retirada do local pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu.

Municípios localizados na Região Metropolitana de Belo Horizonte também enfrentam situações caóticas. Em Raposos, cerca de 9 mil pessoas estão desabrigadas, número superior a metade da população local. Na cidade de Sabará, o Rio das Velhas transbordou e a água invadiu comércios e residências. Em Betim, 15 vias estão interditadas totalmente ou parcialmente e, ao todo, 36 mil pessoas do 5º município mais populoso do Estado foram afetadas pelas chuvas.

Já em Nova Era, na Região Central de Minas, uma ponte pênsil se rompeu parcialmente no domingo e a estrutura cedeu depois que o nível da água do Rio Piracicaba ultrapassou a cota máxima. Segundo informado pela Defesa Civil, a correnteza ficou muito forte e rompeu o cabo que sustentava a ponte, que é para pedestres. Ninguém ficou ferido, mas algumas famílias estão ilhadas. 

Em Itabirito, a prefeitura decretou estado de calamidade pública depois do transbordamento do Rio Itabirito, que alagou imóveis nos bairros Santa Rita e São Geraldo. Cerca de 80 pessoas, entre adultos e crianças, foram resgatados e encaminhados a um abrigo na região. Apenas em 24 horas, mais de 300 ligações foram feitas para a Defesa Civil.

Pelas redes sociais, a Polícia Civil de Minas Gerais compartilhou uma publicação pedindo ajuda de voluntários com barcos, moto aquática e botes. Doações de água, alimentos não perecíveis, cobertores e colchões também são requisitadas pelas autoridades.

Informações de SBT News