Cientistas detectam grande vazamento de metano por meio de satélites

Cientistas conseguiram detectar a partir de satélites no espaço um grande vazamento de metano, segundo gás mais prejudicial do efeito estufa, em uma instalação na região do Golfo do México, nos Estados Unidos. 

A descoberta foi divulgada em um estudo revisado por pares na revista científica Environmental Science & Technology Letters, sendo um passo importante para identificar fontes de gás potencialmente poluentes através do espaço.

Segundo o estudo, durante um período de 17 dias de observação, foram liberados 40 mil toneladas de gás metano. Isso é equivalente a 3,36 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera terrestre.

E através das imagens registradas por satélite foi possível detectar essas nuvens e seus movimentos.

A pesquisa ressalta que é uma descoberta importante, pois, segundo estudo realiazo é muito difícil a detecção de emissões desse tipo gás, devido a alta absorção da radiação pela água, limitando a quantidade de luz que chega aos sensores.

Entretanto, o estudo ainda reforça que os satélites possibilitam que a medição possa ocorrer através da radiação refletida sobre a superfície do mar.

Informações de SBT News