Cirurgião acusado de abusar de 86 mulheres é preso no Rio Grande do Sul

A polícia prendeu na noite desta sexta-feira (16) o médico Klaus Brodbeck, cirurgião plástico gaúcho acusado por 86 mulheres de abuso sexual ou erro médico. Klaus foi preso preventivamente pela prática de crimes contra a dignidade sexual.

Na quinta-feira (15), ele prestou depoimento formal à Polícia Civil, em Porto Alegre, e negou os crimes. Na terça, também à polícia, mas informalmente, o cirurgião de 53 anos assumiu que mantinha relações sexuais consentidas com pacientes.

O SBT ouviu ao longo da semana sete mulheres que alegaram ser vítimas do cirurgião. Elas relataram o comportamento abusivo do médico durante as consultas e como lidaram com as situações humilhantes a que eram submetidas.

O médico atende mulheres de vários estados que querem retocar partes do corpo. Em sua página no Instagram, com quase cem mil seguidores, Klaus costuma responder dúvidas das pacientes, a maioria, sobre “a segurança” da substância usada em vários procedimentos, o PMMA, sigla do polimetilmetacrilato, e que teria causado deformações em algumas mulheres atendidas por ele.

Em nota, a defesa diz que o número de acusações que a polícia investigava na data da oitiva (quinta-feira) era bem inferior ao divulgado na imprensa, e dá a versão do médico para quatro dos relatos das vítimas. Também reforça que todos são inocentes até que se prove a culpa de acordo com a lei. Diz ainda que Klaus se declara inocente das acusações e está contribuindo com a investigação.

Informações do SBT News.