Com alta do combustível, brasileiros trocam veículos por transporte coletivo

Além do combustível, outros gastos com o carro também aumentaram, fazendo com que mais pessoas troquem o veículo próprio pelo transporte público.

A analista de Recursos Humanos, Laryssa Medeiros, deixou de usar o veículo para ir ao trabalho. “Eu gastava R$ 650 por mês. Fiz a conta somente do trabalho, sem incluir fins de semana. Agora, com ônibus e metrô, gasto R$ 250”. 

Para especialistas, o principal motivo do aumento da gasolina é a guerra na Ucrânia. A Rússia, por sua vez, é o segundo maior produtor mundial de gás natural e petróleo. Outros gastos também cresceram. Em 12 meses, a inflação para seguros de automóvel foi de 23%. Pneus tiveram alta de 24%, enquanto os veículos novos estão quase 18% mais caros.

“A China está em lockdown, com 200 milhões de habitantes presos em suas casas, sem poder sair. Estão faltando semicondutores para fabricar carros novos”, explicou Roberto Dumas, economista do Insper, em entrevista ao SBT.

Já os preços de automóveis, usados e seminovos, subiram 34% em 2021, segundo um levantamento feito pela Fipe. O relatório fez com que muitos considerassem vender o veículo. “Se fizermos um cálculo financeiro, de fato, é melhor vender o carro e usar o transporte público ou motorista por aplicativo. Se você tem dinheiro e está imobilizado no carro, significa que [a quantia] não está rendendo. Ela pode render 12, 13 ou até 14% ao ano se você investir. [Além disso], não terá todos os custos”, completou Dumas.

Informações SBT News