Apoio a premiê do Japão sobe graças a aval de eleitores a medidas contra Covid

TÓQUIO (Reuters) – Quase dois terços dos eleitores do Japão aprovam o governo do primeiro-ministro Fumio Kishida e o público respalda suas medidas contra o coronavírus, inclusive o fechamento temporário das fronteiras à entrada de estrangeiros, noticiou o diário de negócios Nikkei nesta segunda-feira.

O apoio ao gabinete de Kishida subiu para 65%, um aumento de quatro pontos percentuais em relação à pesquisa anterior de um mês atrás, de acordo com o jornal.

Na sondagem mais recente, realizada entre sexta-feira e domingo, 61% dos entrevistados avaliou positivamente as medidas de combate ao coronavírus de Kishida, a cifra mais alta desde que o Nikkei começou a consultar a opinião pública a respeito da reação governamental ao coronavírus em fevereiro de 2020.

Em meio ao crescimento global da variante Ômicron do coronavírus, que é altamente transmissível, Kishida anunciou no final de novembro que o Japão estava proibindo o ingresso de estrangeiros por cerca de um mês. Na semana passada, ele prorrogou a medida até as festas de Ano Novo.

Kishida tomou posse em outubro substituindo Yoshihide Suga, cujo período de um ano como premiê testemunhou a erosão de sua popularidade à medida que a Covid-19 disparava.

O Japão detectou várias centenas de casos novos de coronavírus nas últimas semanas, uma redução acentuada em relação às mais de 20 mil infecções diárias do pico mais recente de agosto.