Donos de restaurantes na Itália imploram por ajuda após Covid provocar cancelamento de reservas

ROMA (Reuters) – Proprietários de restaurantes na Itália estão buscando apoio governamental de urgência devido ao aumento de cancelamentos provocado por uma alta nas infecções por coronavírus, disse em comunicado um grupo que representa o setor nesta quarta-feira.

O grupo empresarial Fipe-Confcommercio disse que o número crescente de casos e as regras de quarentena impostas a pessoas que tiveram contato próximo com contaminados por Covid-19 levaram a cancelamentos de 25% a 30% nas reservas para o jantar de Réveillon.

“Dezembro… que sozinho responde por 10% das receitas dos restaurantes, está amplamente comprometido”, disseram eles, pedindo ao governo que estendesse a moratória da dívida da Covid-19 e o esquema de indenização por dispensa de funcionários.

Os casos diários de coronavírus na Itália dispararam nesta semana, atingindo um pico de 78.313 na terça-feira, em meio à disseminação da variante Ômicron, que é altamente contagiosa.

O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, endureceu as regras da Covid-19 para o período de fim de ano, proibindo shows e eventos ao ar livre e fechando discotecas até 31 de janeiro.

O ministro do Turismo, Massimo Garavaglia, disse em comunicado que concorda com as preocupações sobre o esquema de demissões e pediu ao Ministério do Trabalho ação rápida.

“A disseminação da nova variante pode causar danos sociais, além de prejudicar as receitas”, disse.