Empresas de navios de cruzeiro suspendem operações no Brasil após surtos de Covid-19

BRASÍLIA (Reuters) -A Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (Clia Brasil) decidiu suspender voluntariamente os cruzeiros no país até 21 de janeiro devido aos surtos de Covid-19 registrados nas embarcações, e pode cancelar de vez a operação neste verão se não houver um alinhamento com as autoridades, informou a entidade nesta segunda-feira.

“Durante esta pausa, a Clia está trabalhando, em nome das companhias de cruzeiros que operam no país –MSC Cruzeiros e Costa Cruzeiros– para buscar alinhamento com as autoridades do governo federal, Anvisa, Estados e municípios nos destinos que operamos em relação às interpretações e aplicações dos protocolos operacionais de saúde e segurança que haviam sido aprovados no inicio da atual temporada, no mês de novembro”, disse a associação em nota.

De acordo com a Clia, nas últimas semanas as empresas foram afetadas por “diversas situações” que tornaram impossível a continuidade das operações.

À noite, o governo divulgou uma nota em que confirmou a suspensão das operações das atividades de cruzeiros, e disse que a medida foi decidida em reunião esta manhã com empresas do setor.

“Houve também, na parte da tarde, reunião com secretários de Saúde de Estados e municípios para discutir o atual plano de operacionalização da atividade de cruzeiros diante do aumento de casos da variante Ômicron do Sars-Cov-2 em embarcações na costa brasileira, mesmo que, em sua totalidade, leves ou assintomáticos”, disse.

“O governo federal continuará, nos próximos dias, a promover reuniões com municípios, Estados e empresas para, juntos, reavaliarem a possibilidade do retorno das atividades”, reforçou o comunicado, subscrito pelas pastas da Casa Civil, Saúde, Infraestrutura, Justiça e Turismo.

RECOMENDAÇÃO

Na semana passada, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) havia recomendado a suspensão temporária da temporada de cruzeiros depois que os cinco navios operando no Brasil registraram mais de 300 casos de Covid-19.

Na noite desta segunda, a Anvisa divulgou um novo comunicado em que destacou que o cenário epidemiológico a bordo das embarcações motivou a recomendação de suspender as operações. A agência disse que 798 casos de Covid-19 foram confirmados em cruzeiros de 26 de dezembro a 3 de janeiro, dentre os quais 60% em tripulantes.

“A Anvisa reforça que, desde agosto de 2021, já havia se manifestado pela inviabilidade da retomada da temporada de navios de cruzeiro no Brasil, a qual deveria estar condicionada à avaliação do cenário epidemiológico do país”, informou.

Segundo a entidade responsável pelos cruzeiros, a suspensão temporária e voluntária ocorre com efeito imediato para novas partidas e nenhum hóspede será embarcado até o dia 21 de janeiro. Os cruzeiros atuais vão finalizar os seus itinerários conforme planejado.

Na sexta-feira a Anvisa recomendou ao Ministério da Saúde a suspensão da temporada de navios de cruzeiro, em caráter preventivo, até que se tenha dados disponíveis sobre a situação. Segundo a agência, houve um aumento repentino dos casos de Covid nas embarcações e também há o risco de transmissão em território nacional da variante Ômicron.

Pessoas nesses navios chegaram a ser impedidas de desembarcar em solo brasileiro e houve navios que tiveram suas atividades suspensas ao longo da sexta-feira.

(Reportagem de Ricardo Brito e Lisandra ParaguassuEdição de Alexandre Caverni e Pedro Fonseca)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI020OG-VIEWIMAGE