Há quase um ano, eram confirmados os primeiros casos de covid-19 no Paraná

No dia 12 de março de 2020, os primeiros seis casos de covid-19 foram confirmados no Paraná. Foram cinco moradores de Curitiba e uma de Cianorte, todos vindos de viagens internacionais. Desde o início do mês, a Secretaria de Estado da Saúde já monitorava casos suspeitos no Paraná.

Até aquele momento, haviam 60 casos no Brasil, e o vírus, identificado no final de 2019, na China, já se espalhava por 116 países. Foi exatamente no dia anterior, 11 de março, que a Organização Mundial da Saúde (OMS) mudou a classificação da doença e declarou a pandemia de Covid-19.

O Paraná já estudava a situação desde janeiro. Mesmo antes de o primeiro caso ser confirmado no Brasil, o que ocorreu em fevereiro, a Secretaria da Saúde publicou uma Nota Informativa, com orientações e cuidados a serem tomados.

Nessa época, o Paraná ainda passava por uma grande epidemia de dengue.

Estrutura

Ao longo deste período, desde as primeiras confirmações, o Governo do Paraná estruturou uma rede hospitalar em Guarapuava, Telêmaco Borba e Ivaiporã e, implantou 3.885 leitos exclusivos para atender os pacientes em todas as regiões.

A ativação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) foi maior do que o criado nos os últimos 30 anos no Estado. Atualmente, são 1.528 UTIs para os pacientes que evoluíram para os casos mais graves da doença, além das 1.088 voltadas para as outras enfermidades. O número de pessoas internadas nos leitos exclusivos para a covid-19 passou de 57 mil.

Primeiras medidas

O Paraná terminou março de 2020 com 251 casos confirmados e três óbitos pela doença.

As primeiras medidas tomadas, anunciadas no dia 16 de março, incluíam a suspensão de eventos públicos, do funcionamento de espaços culturais e de aulas presenciais; instituía o regime de trabalho remoto na administração estadual. Na sequência, o Estado determinou quais atividades e serviços essenciais poderiam funcionar durante a pandemia.

Também foi iniciada a contratação de bolsistas para atuarem na saúde, anunciada a distribuição de alimentos da merenda escolar a alunos carentes da rede estadual e as medidas econômicas para auxiliar setores impactados. Também naquele mês, começou a ampliação da estrutura hospitalar para atender pacientes com o coronavírus.

Evolução

Ao longo de um ano, foram 728.333 pessoas infectadas e 12.711 mortos pela doença, de acordo com boletim desta terça-feira (09). A primeira curva crescente durou de março até agosto, quando os óbitos e contaminações começaram a diminuir.

De acordo com o sistema Notifica Covid-19, abastecido pela Secretaria da Saúde com dados dos municípios, a semana epidemiológica 32 (2 a 8 de agosto) apresentou o pico de óbitos e diagnósticos naquele período, com 16.288 casos e 415 óbitos em sete dias, superando o ápice de 15.806 casos da semana 30 (19 a 25 de julho) e as 373 mortes da semana 31 (26 de julho a 1o de agosto), os maiores índices até então.

O Paraná experimentou um período de cerca de dois meses com redução semanal de casos e óbitos, que durou até outubro. A semana epidemiológica 42 foi a que apresentou as taxas mais baixas desde junho, com 6.321 diagnósticos entre 11 e 17 de outubro. O menor número de mortes semanais, considerando esse intervalo, ocorreu duas semanas depois, com 154 falecimentos entre 25 e 31 de outubro.

Mas os diagnósticos voltaram a subir e, em novembro, chegaram ao patamar registrado em agosto. Na semana epidemiológica 46, os casos já superavam os do primeiro pico, com 19.385 contaminações entre 8 a 14 de novembro. A taxa de óbitos, porém, permanecia mais baixa do que três meses antes e chegava a 184 mortes naquela semana.

Dezembro passou a ser o período mais crítico do ano passado. O maior pico da doença, até agora, ocorreu na semana epidemiológica 50, com 36.474 diagnósticos confirmados entre 6 e 12 de dezembro. A semana com o maior número de mortos em 2020 foi a seguinte, com 501 falecimentos do dia 12 ao dia 19 de dezembro.

Situação atual

Mas os números registrados nas últimas semanas são os mais preocupantes, desde o início da pandemia. A 9a semana epidemiológica de 2021, encerrada no último sábado (06), foi a que mais registrou mortes, foram 551. E ao que tudo indica, esse número será superado pela semana atual. No boletim desta terça-feira (09), foi registrado o recorde de mortes diárias no Paraná: 212 óbitos.

Colaboração AEN