Lote da vacina CoronaVac chega ao Paraná

Na noite de quarta-feira (24), a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná recebeu 64.800 doses da vacina CoronaVac/Instituto Butantan. Elas chegaram em um voo comercial por volta das 20 horas, no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais. Em seguida, foram levadas ao Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar). A distribuição para as regionais de Saúde começa hoje (25).

As vacinas são para aplicação da primeira (D1) e da segunda dose (D2), destinadas aos profissionais da saúde que atuam na linha de frente de atendimento e aos idosos com mais de 80 anos, conforme especificações do Plano Estadual de Vacinação contra a Covid-19.

É a segunda remessa que chega ao Paraná nesta quarta. Pela manhã, foram entregues 102.500 doses da Universidade de Oxford, produzida em parceria com a AstraZeneca e a Fiocruz. No total, foram 167.300 doses recebidas ontem.

A Secretaria Estadual da Saúde está preparando a logística de distribuição das vacinas para as 22 Regionais de Saúde.

Histórico

A primeira remessa, com 265.600 unidades da vacina CoronaVac, chegou ao Paraná em 18 de janeiro. A data marcou o início da campanha de imunização no Estado, após a aplicação na enfermeira Lucimar Josiane de Oliveira, de 44 anos.

No dia 23 de janeiro, o Estado recebeu a segunda remessa do Ministério da Saúde, com 86.500 doses da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz. O Paraná ainda recebeu mais dois lotes de doses da CoronaVac, em 29 de janeiro foram 39.600 doses, e no dia 07 de fevereiro foram 147.200 unidades.

Ao todo, o Paraná recebeu 706.200 doses de vacina.

Grupos prioritários

Seguindo o plano estadual, a previsão é vacinar cerca de 4 milhões de pessoas até maio. A vacinação ocorrerá de acordo com o recebimento dos imunizantes, de forma gradual e escalonada. Fazem parte dos grupos prioritários: profissionais da saúde, indígenas, idosos em Instituições de Longa Permanência (ILPI), trabalhadores das forças de segurança, da educação, do transporte coletivo, portuários, caminhoneiros e idosos com mais de 60 anos.

Colaboração AEN