‘Mega Vacinação’ contra a covid-19 aplica mais de 6,1 mil doses em Curitiba

O empresário João Aroldo Bruncol, 82 anos, acordou cedo neste sábado (20/11) para tomar a dose de reforço contra a covid-19. Mesmo aposentado ele conta que continua trabalhando e completou os cinco meses da segunda dose da vacina.  

“É um reforço que todos devem tomar, precisamos ser responsáveis, se for necessário tomar todos os anos essa vacina eu tomarei”, declara Bruncol.

A campanha “Mega Vacinação” mobilizou neste sábado (20), em Curitiba, 27 pontos de vacinação, das 8h às 14h, para completar o ciclo de imunização com segunda dose ou dose de reforço daqueles que já foram convocados, mas que ainda não haviam comparecido para se vacinar. Durante a ação foram aplicadas 6.164 doses na capital paranaense.

O estudante de direito, Breno Ribeiro, 22 anos, diz que acabou perdendo a data da convocação da antecipação da segunda dose, neste sábado ele aproveitou a campanha para colocar a vacina em dia. “Pra passar essa fase que estamos vivendo é preciso que todos se vacinem”, alerta Ribeiro.

Campanha Nacional

A ação promovida pelo Ministério da Saúde (MS) ocorreu simultaneamente em outras cinco capitais selecionadas para participar do mutirão: São Paulo (SP), Manaus (AM), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ) e Salvador (BA).

O lançamento da campanha aconteceu na Praça Ouvidor Pardinho e contou com a presença do secretário de Atenção Primária à Saúde do Ministério da Saúde, Raphael Câmara, e da secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou remotamente do evento.

“Estamos alternando as capitais em nossas campanhas e desta vez optamos por incluir Curitiba. O governo federal em parceria com os estados e municípios estão fomentando a ida da população aos postos de vacinação, sabemos que a proteção máxima só está garantida após o ciclo completo de vacinação”, declara Câmara.

A secretária municipal de Saúde, Marcia Huçulak, lembra que quem não pôde comparecer neste sábado, poderá buscar os pontos de vacinação ao longo da semana. A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba (SMS) tem mantido a repescagem contínua para a segunda dose e dose de reforço. “Os dados indicam que 80% dos casos graves e óbitos ocorrem em pessoas que não completaram o esquema vacinal ou não tomaram nenhuma dose da vacina”, alerta Huçulak.

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, falou remotamente da importância da imunização, cumprimentou em nome da secretária Marcia Huçulak todas as enfermeiras do país, que têm feito um trabalho excepcional e lembrou da tradição brasileira em campanhas de vacinação.

“O Programa Nacional de Imunização existe desde 1976, queremos que cada um dos brasileiros procure uma das 38 mil salas de vacinação em todo o Brasil e se imunize”, concluiu Queiroga.

Máxima proteção

A mobilização nacional tem como objetivo reforçar a importância de toda a população maior de 18 anos completar o ciclo vacinal contra a covid-19 e garantir a máxima proteção. Além da convocação dos faltosos de segunda dose e dose de reforço, também foram convocados um novo grupo para receber a dose de reforço: pessoas com 18 anos ou mais que receberam a segunda dose até o dia 24 de junho.

Segunda dose

De acordo com os dados da SMS, a capital paranaense tem uma baixa taxa de “faltosos” de segunda dose. Apenas 5,9% das 1.402.105 de pessoas que estavam no prazo para a segunda aplicação até 16 de novembro ainda não compareceram para completar o esquema vacinal.

Pelas estimativas da SMS, isso corresponde a 82.946 pessoas que já poderiam ter finalizado o ciclo de imunização. Ainda segundo a SMS, parte dos que aparecem como “faltosos” pode ter tomado a segunda dose em outro município.

Vacina da Janssen

Pessoas vacinadas com imunizantes da farmacêutica Janssen ainda não puderam tomar a dose de reforço neste sábado. Elas devem seguir a nova orientação do Ministério da Saúde, de receber uma segunda dose e esperar o intervalo correto para receber o reforço. O município ainda aguarda o recebimento de doses para a convocação para segunda dose deste público.

Mega Vacinação

A mobilização nacional tem o objetivo de garantir a máxima proteção e a manutenção da imunidade de milhões de brasileiros, alertando a população sobre a importância de completar o ciclo vacinal. Países com baixa cobertura vacinal vivem cenários de aumento de casos do novo coronavírus e a chegada do período de férias e festividades são motivos de preocupação para as autoridades de saúde.

Com slogan “Proteção pela metade não é proteção”, a força-tarefa tem previsão de duração de uma semana, até o dia 26 de novembro todo o país, e deverá intensificar ações de chamamentos dos faltosos da vacina.